Curitiba – A Polícia Militar do Paraná corrigiu o edital polêmico do concurso de cadetes, que exigia “masculinidade” como um dos itens da avaliação psicológica para ingressar na corporação.

O item, que foi considerado preconceituoso, foi mudado para “enfrentamento”, descrito como capacidade do indivíduo em não se impressionar com cenas violentas, suportar vulgaridades e não se emocionar facilmente.

O termo foi alterado por determinação da governadora Cida Borghetti, que disse na segunda-feira não admitir qualquer tipo de postura discriminatória em atos do Estado.

Quando a governadora se manifestou, a Polícia Militar já tinha se justificado dizendo que o termo “masculinidade” é aprovado pelo Conselho Federal de Psicologia, que fazia parte dos 72 itens de avaliação psicológica do concurso que oferece 16 vagas para cadetes. Mesmo assim, o edital foi corrigido.