Cida manda pagar 13º dia 10

A governadora Cida Borghetti determinou nessa segunda-feira o pagamento do 13º salário do funcionalismo estadual no próximo dia 10 de dezembro. O valor será depositado integralmente na conta de aproximadamente 280 mil servidores ativos, pensionistas e aposentados. “O Estado tem uma situação financeira equilibrada, que nos permite fazer esse anúncio”, disse a governadora, ressaltando que a decisão contribui para que os servidores possam programar suas despesas de fim de ano.

Valores

O valor da folha mensal do funcionalismo estadual chega a R$ 1,7 bilhão e, num período de 30 dias, entre o fim dos meses de novembro e de dezembro, o governo do Estado será responsável pela injeção de cerca de R$ 5,1 bilhões na economia do Paraná, somando os pagamentos de salários e o décimo terceiro.

Recursos

A governadora Cida autoriza nesta terça-feira, às 11h30, no Palácio Iguaçu, a liberação de recursos para 233 municípios para atendimento a crianças e adolescentes; atendimento às famílias acompanhadas pelo programa Família Paranaense e para proteção de mulheres em situação de violência.

Oposição

O deputado João Arruda (MDB) vai se encontrar em dezembro com Ciro Gomes (PDT). Terceiro lugar na disputa pelo governo do Paraná com 705.976 votos, Arruda articula a oposição a Jair Bolsonaro (PSL) com PDT, PSB, PCdoB, Rede, mas sem a “hegemonia” do PT e seus assemelhados. Os partidos já falam em oposição "propositiva, responsável" e "construtiva" para o Brasil. Não custa lembrar: tanto Arruda quanto Ciro iniciam 2019 sem mandato.

E a Itaipu?

O jornalista Zé Beto especula em seu blog como fica a Itaipu com o Governo Bolsonaro: “A oposição, especialmente o PT, pode estrilar. Mas o que vai acontecer daqui pra frente no Brasil é uma mudança nos paradigmas, palavra bonita que significa quebra dos padrões até agora vigentes”.

Não está mais?

O ex-deputado Abelardo Lupion (DEM), atual secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, era cotado para integrar a equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). O decreto com a equipe foi publicado na tarde de ontem, mas sem o nome dele.

Outro paranaense

Mas tem paranaense na área. É um militar curitibano quem vai comandar a segurança do presidente da República a partir de 1º de janeiro. Trata-se do general Luiz Fernando Estorilho Baganha, designado pelo atual ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Sérgio Etchegoyen, já em acordo com a equipe de Jair Bolsonaro. O general não terá vida fácil.

Quem são

Dos 27 nomes da lista, 22 são indicados pela transição e cinco pelo governo de Michel Temer por já serem servidores públicos. Até o momento, a equipe de transição não tem mulheres. Entre os nomeados para a equipe que comandará a transição estão Paulo Guedes, futuro ministro da Economia; Marcos Pontes, já confirmado no Ministério de Ciência e Tecnologia; e o general Augusto Heleno, que assumirá a Defesa. Clique aqui e leia a lista completa

 

Aposentadoria

Por falar em Bolsonaro… ontem o presidente eleito defendeu que seja aprovado ainda este ano algum passo, "por menor que seja", na Reforma da Previdência. Ele propõe a fixação da idade mínima para 61 anos para os homens e 56 para mulheres. O presidente prevê “majorar” em determinadas carreiras que serão especificadas.

Grande passo

“Um grande passo, no meu entender, se este ano for possível, vamos passar para 61 anos [a idade mínima] o serviço público para o homem, 56 para a mulher, e majorar também o ano nas demais carreiras. Acredito que seja um bom começo para entrar no ano que vem já tendo algo de concreto para nos ajudar na economia". O projeto que tramita hoje prevê idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres.