Um desenho feito à caneta, à mão e que mostrava todos os setores da PEC (Penitenciária Estadual de Cascavel) foi interceptado na unidade. A informação de agentes é de que o papel seria entregue para familiares de detentos, para facilitar arremessos pelo lado externo.

O esboço mostra o local exato para que os familiares pudessem realizar lançamentos de objetos não permitidos: celulares, armas, drogas, que montam o conhecido “kit cadeia”.

Mas, segundo informações oficiais levantadas pela reportagem do Hoje News, o planejamento era maior do que apenas receber materiais ilícitos dos familiares. Com estrutura precária, superlotação e alegando maus tratos, além de reclamações a respeito da alimentação, a intenção dos presos era de tomar a penitenciária em uma nova rebelião.

Há cinco meses, os detentos se rebelaram e deixaram boa parte da PEC destruída. A informação é de que chove na unidade, que mesmo nos dias de sol fica alagada porque a água se acumula na laje.

 

Análise

De acordo com o Depen, o mapa foi analisado para análise do setor de Inteligência. O departamento afirma, ainda, que a PEC tem câmeras de monitoramento, que registram toda a movimentação externa para inibir a passagem de materiais ilícitos, além do auxílio da Polícia Militar, que faz rondas externas, e a SOE (Seção de Operações Especiais), que atua com base no local o tempo todo. Neste ano, não houve registro de tentativa ou arremesso de materiais ilícitos na unidade, segundo o departamento.

 

Sem denúncia

Apesar de todos os indícios darem conta de uma preparação para uma nova, a terceira, rebelião na PEC, o Depen alega que não recebeu nenhuma denúncia sobre a suposta ameaça de os presos tomarem, novamente, a unidade.

Desde a última rebelião, registrada em novembro do ano passado, a estrutura permanece precária e com detentos amontoados. O departamento reforçou que reparos emergenciais foram realizados com recursos do Fundo Rotativo do Departamento, obra feita por presos da PIC, mas que não resolveu o problema.

Reforma

Só agora é que duas empresas foram contratadas para fazer a reforma definitiva, do telhado e da rede elétrica, no valor de mais de R$ 600 mil. O Departamento afirma, ainda, que a reforma do telhado começou na semana passada e que a empresa contratada para consertar a rede elétrica iniciará o serviço nesta semana. A previsão é de que tudo termine até setembro deste ano.

 

Outras ocorrências

As intervenções da SOE têm sido comuns na penitenciária. Neste mês, uma revista foi realizada depois que o setor recebeu informações de que alguns presos queriam fugir. Três galerias foram vistoriadas pelos agentes, um buraco foi encontrado em uma das celas e várias armas artesanais foram apreendidas.