Hospital Ministro Costa Cavalcanti registra primeira alta de paciente com covid-19 pelo SUS

Erondina Ramos, de 63 anos, apresentava quadro de insuficiência cardíaca congestiva. Ela estava internada havia dez dias e sua saída foi comemorada

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, deu alta a Erondina Lourenço de Ramos, de 63 anos, nesta sexta-feira (8). Ela estava internada desde o dia 28 de abril com o diagnóstico de covid-19 e insuficiência cardíaca congestiva. É o quarto caso de recuperação do novo coronavírus no centro hospitalar, o primeiro pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Quando usar máscara de pano

A saída dela, a exemplo dos demais pacientes curados de covid-19, foi bastante comemorada. A terceira alta havia sido registrada no dia 27 de abril. O paciente, de 60 anos, voltou para casa depois de 20 dias internado. Antes dele, foram registradas altas nos dias 16 (um homem de 56 anos) e 24 de abril (uma mulher de 63 anos).

Encaminhada por uma unidade básica de saúde do município, a paciente deu entrada no hospital depois de apresentar sintomas compatíveis com a covid-19. Após triagem, ela recebeu atendimento médico e seu caso foi notificado à Vigilância Epidemiológica. Internada na Unidade de Tratamento covid (UTC) do HMCC, Erondina permaneceu em isolamento e foi submetida a exames laboratoriais e de imagens.

De acordo com o médico Rodrigo Romanini, diretor técnico do HMCC, tratava-se de uma paciente incluída no grupo de risco. Durante os dias no HMCC, ela recebeu tratamentos específicos para o novo coronavírus e outras comorbidades.

Os protocolos adotados pelo centro hospitalar são atualizados diariamente pelo Núcleo de Inteligência covid-19 e pautados nos periódicos do Centers for Disease Control and Prevention (CDC-EUA), Ministério da Saúde, OMS (Organização Mundial da Saúde) e Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

Apoio

A Itaipu investiu, até agora, R$ 22 milhões no enfrentamento ao novo coronavírus. Só na reestruturação do HMCC foram R$ 15 milhões. O hospital também foi credenciado pelo Laboratório Central do Paraná (Lacen) para fazer os exames da covid-19.

Entre outras ações, a empresa também adquiriu seis mil testes PCR e dobrou o valor do fundo de auxílio eventual a entidades beneficentes, de US$ 250 mil para US$ 550 mil, o equivalente a R$ 2,7 milhões.

Outra iniciativa foi um convênio com o governo do Estado para a contratação de 733 bolsistas na área de assistência médica para ajudar as unidades básicas de saúde no enfrentamento da pandemia.

Para Jorge Aureo, responsável pelo GT Estratégico da covid-19 da Itaipu e assessor especial do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, “essa alta é mais uma grande conquista da vida e uma demonstração do alto nível de qualidade de todo o corpo do HMCC para atendimentos de casos graves da covid-19”.

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

dezesseis + dez =