Grêmio e Atlético-PR fizeram um  grande jogo na Arena. Tão bom que o 0 a 0 foi um placar que não fez justiça à qualidade do confronto. De um lado, o Grêmio robusto e vigoroso que foi melhor, mas desperdiçou muitas chances (coisa pouco comum no time de Renato). 

De outro, o Atlético-PR, sensação do momento, que  tem apenas nove jogos na temporada, mas que apresenta um padrão de jogo  de time rodado. O único pecado dos paranaenses foi exagerar nas faltas. Tanto que o time terminou com dez jogadores, a partir da expulsão de Camacho.

A qualidade do confronto está  relacionada à intensidade do jogo das duas equipes. Grêmio e Atlético jogaram com a bola no chão, trocando passes e valorizando a pose de bola. 

O Grêmio partiu incessantemente para o ataque. O Atlético foi só na boa e, quando chegou, assustou Marcelo Grohe. O tempo de bola  rolando ultrapassou os 65%, um número muito bom em relação à média do  futebol brasileiro.

Renato acertou na estratégia. Avançou a marcação e atrapalhou a evolução do Atlético. O Grêmio foi  melhor, merecia vencer, mas não foi feliz nas inúmeras chances que teve.  Curiosamente no primeiro jogo da dupla Luan e André, o time não  conseguiu marcar gol.