Controle da bilhetagem

O prefeito Leonaldo Paranhos assegura que o Município já possui o controle da bilhetagem do transporte coletivo, apesar de o processo de transição ainda estar em andamento e estar indefinido se o controle ficará com a Transitar ou se será mantido pela ValeSim. No entanto, agora o Paço tem subsídios suficientes para preparar o novo termo de referência para o certame licitatório do serviço de transporte público. “A prefeitura precisa ter controle absoluto dos dados. Foi um erro da gestão passada, por meio de aditivo, deixar o controle total a empresas privadas. Não seria possível admitir, por exemplo, que tivéssemos que pedir dados para quem vai concorrer no certame”, diz Paranhos.

Sob controle

Contas da Secretaria de Finanças apontam que a Prefeitura de Cascavel voltou a extrapolar o limite prudencial estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal – o máximo é de 51,3%, e a folha chegou a 51,83%. Com isso, a administração municipal fica em sinal de alerta, embora ainda não sofra sanções. Paranhos diz que o aumento da folha estava previsto.

Reajustes

Segundo o prefeito, os reajustes salariais pesaram no orçamento. Foram concedidos 3,25% a título de correção das tabelas do piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério da educação básica. A aplicação foi de 0,65% em janeiro e demais parcelas até maio. “A folha em dezembro aumenta em função do 13º e das férias. Também tivemos reajustes para categorias, como professores e guardas”, explica Paranhos, que esperava um comprometimento maior da folha.

Aliança Bolsonaro

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro estão organizando uma manifestação no Centro de Cascavel: será o 1º Mutirão de Apoio ao Aliança pelo Brasil, partido que Bolsonaro pretende implantar no País depois de ter saído do PSL. O ato começa hoje e vai até sexta, das 8h até 17h, em frente à Catedral Nossa Senhora Aparecida. Os organizadores pretendem mobilizar eleitores para ingressar na sigla e conseguir as assinaturas necessárias para criar o partido até as eleições de outubro.

Recesso

A Câmara de Vereadores retomou as atividades administrativas e o protocolo de proposições na segunda-feira (13). O recesso parlamentar, previsto em lei, termina dia 1º de fevereiro, com a volta das sessões nos dias 3 e 4 de fevereiro.

Confusão

Após o recesso parlamentar, a Câmara de Vereadores deverá analisar a denúncia de quebra de decoro parlamentar de Serginho Ribeiro (PDT). Ele publicou um vídeo do colega Josué de Souza (MDB) no qual critica as investidas de recursos no Rocão, tradicional ação articulada por Serginho e que tem apoio da gestão municipal. Souza se sentiu prejudicado e acionou a Mesa Diretora, que deverá encaminhar o caso à Comissão de Ética.