Garrido toma posse como diretor-superintendente do PTI reforçando a proximidade com a Itaipu

General Garrido entra com a missão de adequar projetos do PTI às necessidades de sua mantenedora. Projetos importantes devem ser mantidos e aprofundados.

O  novo  diretor-superintendente  do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), general  Eduardo Castanheira Garrido Alves, tomou posse nesta segunda-feira (8),  no Edifício das Águas, em Foz do Iguaçu, reforçando o compromisso com a  política  de  austeridade  que  vem sendo adotada pela gestão do general Joaquim Silva e Luna à frente da Itaipu, mantenedora do parque.

Indicado  pelo  general  Silva  e  Luna,  Garrido  deixou  o cargo de assessor  especial  do  Ministro da Defesa para assumir a diretoria do PTI. Ele chega com a promessa de muita dedicação e trabalho integral à missão da instituição.  “Ele  é  um  gestor  por excelência”, ressaltou Silva e Luna.

“Diria  que, nas Forças Armadas, talvez fosse o mais preparado em termos de planejamento  estratégico  voltado  a  finanças  e  orçamento”,  afirmou  o diretor-geral brasileiro da Itaipu.

Segundo Garrido, a integração do PTI com a Itaipu será cada vez maior e com foco voltado principalmente para atender às necessidades da usina, em especial  a  sua atividade-fim, que é a geração de energia. Entre os apoios mais  importantes  está  o suporte ao projeto de atualização tecnológica da hidrelétrica.  Esse  processo  garantirá  que  Itaipu  consiga produzir nos mesmos patamares de hoje, com sucessivos recordes de geração.

Outras ações de grande relevância do PTI para o Oeste do Paraná devem continuar,  como  a  gestão do Complexo Turístico Itaipu (CTI) e o apoio ao empreendedorismo  por meio das incubadoras instaladas no parque. “Essas são grandes vocações da região, então o apoio do PTI será total”, disse Silva e Luna.  “A  forma  de  melhorar e ampliar isso nós vamos construir juntos, a partir  de  agora”,  complementou.  “São grandes frentes que o PTI não pode abrir mão.”

Com  a  vinda  do  general Garrido, a diretoria do PTI fica completa. Flaviano   da  Costa  Masnik,  diretor  administrativo-financeiro,  ocupava interinamente  o  cargo  de diretor-superintendente desde maio deste ano. A diretoria  técnica  é  comandada  por  Rafael  José  Deitos.  Os  dois  são empregados de carreira da Itaipu. O novo diretor-superintendente foi eleito pelo Conselho de Curadores do PTI no dia 26 de junho.

Na   solenidade   de   assinatura   do   termo   de   posse,  o  novo diretor-superintendente  recebeu as boas-vindas do diretor-geral brasileiro da  Itaipu,  a  quem pôde reencontrar. Os dois já trabalharam juntos quando Silva  e  Luna  foi  ministro  da Defesa (de fevereiro de 2018 a janeiro de 2019).

De  acordo  com o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Garrido entra com o desafio de dar continuidade à reorganização da instituição, que agora tem como foco dar sustentabilidade à operação da usina.

Após  as adequações, segundo o general Silva e Luna, o PTI deve atuar com  projetos  de diversificações das fontes energéticas e armazenamento de energia.  “Nosso foco é a missão da Itaipu, que é gerar energia elétrica de qualidade,   com  responsabilidade  social  e  ambiental,  impulsionando  o desenvolvimento  econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai.”

O diretor administrativo-financeiro do PTI, Flaviano da Costa Masnik, que ocupava interinamente o cargo de diretor-superintendente, explicou que, para adequar a atuação às necessidades da Itaipu, o PTI já vem fortalecendo projetos  como, por exemplo, de automação e simulação de sistemas elétricos e segurança de barragens.

“Tenho  certeza de que o general Garrido é o líder que vai não apenas dar  continuidade  a  essa otimização dos projetos do PTI, como efetuará os ajustes necessários na instituição”, disse Masnik.

 Resultados

Garrido  reforçou  seu  compromisso com resultados. “Eu, que venho da área  de  logística, sempre tinha que entregar um suprimento na hora certa, no momento exato. Então tenho muito arraigado esse conceito de entregas.”

A  otimização  dos  recursos da instituição também será prioridade na gestão  do  novo  diretor-superintendente.  Para  isso,  prevê o aumento de produtividade.  “Vamos  buscar  a  valorização  dos  trabalhadores  do PTI, buscando  a  motivação  para que cada vez mais eles se sintam inseridos nas relações  do  parque  e  no  sucesso  da  nossa  mantenedora,  porque  isso representará o sucesso de todos nós.”

Garrido  salientou  que  o  compromisso que teve com o Exército, onde ficou  ao  longo  dos últimos  44  anos,  traz para o PTI muito trabalho e dedicação  integral.  Ele  entrou  para  a  reserva da corporação na última sexta-feira  (5).

“O  desafio  me  levou  a  aceitar  este convite”, disse Garrido.  “Além de vir para uma atividade nova, atender a uma convocação do general  Silva  e  Luna me motiva. Sei da sua capacidade e boas intenções e acho  que  posso colocar uma pedrinha nessa construção que ele está fazendo por aqui.”

Instalações

Após  a  cerimônia  de  posse,  o  novo  diretor  do  PTI  conheceu o Laboratório  de  Automação  e  Simulação de Sistemas Elétricos (Lasse), que desenvolve  soluções customizadas para o setor elétrico; o Laboratório Vivo de  Cidades Inteligentes, que reúne sistemas como monitoramento de estações climáticas  e  iluminação  inteligente;  o  Centro  de Estudos Avançados em Segurança de Barragens (Ceasb), que possui 21 projetos em andamento em prol da  segurança  da  barragem  da  Itaipu; e o Centro de Estudos Avançados em Proteção  de  Estruturas  Estratégicas  (Ceape²),  que  atua  na  segurança proteção e defesa de infraestruturas críticas.

O novo diretor

O  general Eduardo Castanheira Garrido Alves ingressou no Exército em 1975,  pela  Escola  Preparatória  de Cadetes do Exército, em Campinas, São Paulo  (SP). Possui bacharelado em Ciências Militares pela Academia Militar das  Agulhas  Negras  (1978-1981);  especialização  em Educação Física pela Escola  de  Educação  Física  do  Exército  do  Rio de Janeiro (1989-1990);

Mestrado em Aplicações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (1991);  Doutorado  em  Aplicações,  Planejamento  e Estudos Militares pela Escola  de  Comando  e  Estado-Maior  do  Exército  (1994-1996);  e  MBA em Planejamento,  Orçamento  e  Gestão  Pública  pela  Fundação Getúlio Vargas (2010).

Foi  gestor  dos  setores  de  Alimentação,  Materiais,  Licitações e Financeiro do 1º Grupo de Artilharia Antiaérea, entre 1982 e 1985. Em 1986, gerenciou  os setores de Alimentação, Materiais, Licitações e Financeiro do Depósito Regional de Material de Intendência da 1ª Região Militar.

Comandou  a  1ª  Companhia  Depósito de Material de Intendência da 1ª Região  Militar,  em 1987. Participou da implantação da Aviação do Exército pelo  1º  Batalhão de Aviação do Exército e da Base de Aviação do Exército.

Entre 1992 e 1994, foi instrutor da Academia Militar das Agulhas Negras. Comandou  o  11º  Depósito de Suprimento entre 2006 e 2007. De 2008 a 2011 foi chefe da Seção de Planejamento e Execução do Orçamento do Exército na 6ª Subchefia do Estado-Maior do Exército. Em março de 2012 foi promovido ao  generalato  e  assumiu  a  chefia da Assessoria Especial de Orçamento e
Finanças do Exército Brasileiro.

Em  2015,  assumiu  a 6ª Subchefia do Estado-Maior do Exército. Desde março  de  2017  atuava  no  Ministério da Defesa, no qual deixa o cargo de Assessor  Especial do Ministro da Defesa para assumir a diretoria do Parque Tecnológico Itaipu.



Fale com a Redação

dezoito − três =