Foi em 16 de janeiro de 2008 que a história da Serpente Aurinegra começou. Com a experiência da família Belletti, amante e tradicional no futebol, o clube iniciou as atividades, acreditando no potencial da cidade. A ideia surgiu em uma reunião entre os três irmãos Belletti: Sandro, Juliano e Patrick. “Pensávamos em abrir uma escolinha, mas como queríamos estar filiados à Federação Paranaense, montamos o time para disputar as categorias de base apenas”, conta Sandro Belletti, que atuou na parte administrativa na época.

O primeiro passo foi a escolha do nome: Futebol Clube Cascavel. Na sequência, veio a construção do Centro de Treinamento. O desafio era que o time fosse reconhecido pela estrutura e profissionalismo em uma época em que o futebol estava em baixa em Cascavel. E as ambições iniciais de atuar apenas nas categorias de base foram se expandindo à medida que a população e os empresários demonstravam vontade em ter uma equipe profissional.

Foi depois do Paranaense de 2011 que a família Belletti resolveu se desvincular no projeto.  O time foi licenciado e voltou em 2013, tendo Juarez Berté como presidente.

Agora, dez anos depois de sua criação, o time vive uma nova etapa. Atual presidente, Valdinei Silva avalia que o projeto está se concretizando quando deveria se concretizar. “Se não aconteceu antes foi por uma série de conjunturas. Em determinados momentos, as pessoas não tiveram o apoio necessário. Eu sempre acreditei na boa vontade dos gestores que passaram pelo clube, mas antes tudo ficava nos ombros de uma ou duas pessoas, e agora nós somos em mais de 90 pessoas e a cada dia esse número cresce”, analisa o dirigente, à frente do clube desde o início de 2017 e que, com a ajuda de parceiros, traçou um plano ambicioso para os próximos 10 anos: chegar à Série A do Campeonato Brasileiro.