Golpistas estão se passando por trabalhadores de entrega para aplicar o chamado “golpe do delivery”, em cidades do Paraná, segundo a Polícia Civil. Os criminosos digitam valores na máquina de cartão bem acima do que deveria ser pago durante a entrega.

Conforme as investigações, os golpistas agem por meio de aplicativos de comida. Os falsos entregadores se cadastram no sistema com documentos falsos, segundo a polícia.

Depois de retirar o pedido no restaurante, um falso atendente liga para o cliente dizendo que houve um problema com o motoboy e que a entrega irá atrasar muito.

Uma solução oferecida pelo criminoso à vítima é a troca do entregador. Apesar disso, eles informam que precisarão cobrar uma taxa extra, com um valor quebrado, como R$ 4,90, para forçar que o cliente use o cartão no pagamento.

Ao chegar ao endereço de entrega, o falso entregador utiliza uma máquina com o visor danificado. Segundo a polícia, em vez de digitar R$ 4,90, os golpistas chegam a colocar R$ 4.900.

As investigações apontam que os valores obtidos no golpe são creditados em contas de laranjas e sacados imediatamente.

Como não cair no golpe do delivery?

Para não cair no golpe, a Polícia Civil faz as seguintes orientações:
  • Desconfie da exigência de cobrança extra nas entregas;
  • Em caso de dúvida, entre em contato com o atendimento do aplicativo de entrega;
  • Se receber uma ligação com uma suposta substituição do entregador, pode ser golpe;
  • Prefira fazer os pagamentos diretamente pelo aplicativo;
  • Ao pagar compras em máquinas de cartão, verifique o valor digitado e peça o comprovante impresso.

Fonte: G1 Paraná