Faep e entidades pedem R$ 251,4 bilhões para o Plano Safra 2020/21

O valor atual do seguro é de R$ 1 bilhão.

Curitiba – A Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), em conjunto com outras entidades representativas do agronegócio estadual, enviou ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) o documento “Propostas para o Plano Safra 20/2021”. As instituições paranaenses reivindicam R$ 251,4 bilhões para o próximo ciclo, divididos entre programas de custeio, de apoio à comercialização e de investimentos. Além disso, a proposta contempla o pedido de R$ 1,5 bilhão ao Programa de Subvenção ao Prêmio de Seguro Rural. O valor atual do seguro é de R$ 1 bilhão.

O plano safra em vigor prevê R$ 225,59 milhões.

O documento foi elaborado em parceria com a Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná) e a Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento), com contribuições de sindicatos rurais, produtores e cooperativas. O encaminhamento das demandas faz parte de uma política já tradicional do Mapa, de ouvir o setor produtivo ao longo do processo de elaboração do Plano Safra.

“Anualmente, o Ministério consulta os estados e as entidades envolvidas no agronegócio para coletar as informações da base quanto a necessidades de recursos para o Plano Safra. Aqui, no Paraná, nós fazemos essas propostas em conjunto, unindo as nossas informações com as da Ocepar e da Seab”, explica o coordenador do DTE (Departamento Técnico Econômico) da Faep, Jefrey Albers.

Divisão

Para programas de custeio, as entidades paranaenses reivindicam R$ 170 bilhões. Um dos destaques nessas linhas é o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), cuja solicitação é elevar dos R$ 18,3 bilhões do ciclo atual para R$ 22 bilhões na safra 2020/21. Para o Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) o valor é de R$ 25 bilhões. A proposta inclui a destinação de R$ 16 bilhões para programas de apoio à comercialização.



Fale com a Redação

3 − 1 =