A exposição “Olhares” reúne trabalhos dos acadêmicos do 1º semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário de Cascavel – Univel. A exposição nasce com a intenção de aguçar nos alunos a percepção da observação dos cenários arquitetônicos, dos detalhes e também no exercício da técnica, com perspectiva de luz e sombra, formas, detalhes e texturas.

A ideia da exposição é mostrar para os autores e para a comunidade a evolução de um trabalho desenvolvido no 1º semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo, quanto a questões básicas do desenho, como a utilização da lapiseira e qual utilizar, o nanquim, para a representação gráfica de uma ideia. É considerado um trabalho norteador e é um marco para os acadêmicos, porque é a partir dele que pode ser observado o que pode melhorar no desenvolvimento dos próximos trabalhos.

De acordo com o professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Univel e organizador da exposição, Emerson Souza dos Santos, a intenção não é somente mostrar um desenho, mas é uma oportunidade para os acadêmicos poderem se comunicar e expressar alguma ideia. “O grande ‘barato’ do arquiteto é se comunicar através do desenho, as ideias que queremos mostrar. Os observadores vão poder ver desenhos que trazem comunicados sobre questões políticas, religiosas e turísticas de Cascavel. É muito interessante ver os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo exercitando não somente a técnica, mas também passar uma mensagem”, ressalta Emerson.

A próxima exposição dos acadêmicos do curso de Arquitetura e Urbanismo da Univel já está pronta e irá reunir trabalhos que foram desenvolvidos a partir das fotografias de Cascavel do fotógrafo Júlio Szymanski.

Para a acadêmica do curso de Arquitetura e Urbanismo da Univel Gabrielly Popiu, participar da exposição foi uma oportunidade de ter o primeiro contato com a produção de desenhos e também de aprender a observar que os detalhes fazem toda a diferença na arquitetura. “A experiência de produzir um desenho e registrar essa forma de arte na exposição ‘Olhares’ foi incrível. Não tenho muita facilidade com desenho. Ao longo do semestre fui desenvolvendo isso, mas esse foi o primeiro contato direto que tive com produzir, observar, analisar e interpretar algo que mais tarde passaria para o papel. Acredito que ‘Olhares’ foi uma atividade que nos permitiu a atenção aos detalhes e ver seu resultado final foi incrível”, conta Gabrielly.