Situações estressantes e de crise a todo momento alteram a produção de hormônios. Resultado: levantamento da OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que a depressão atinja mais de 300 milhões de pessoas e prevê que até 2020 se torne a principal doença incapacitante no mundo.

Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, outras enfermidades são a principal causa do distúrbio mental. Prova disso é que uma em cada quatro pessoas com alterações visuais tem depressão, segundo uma metanálise de pesquisadores chineses.

A saúde dos olhos, ressalta, está estreitamente conectada à sistêmica. Por isso, além das consultas oftalmológicas periódicas, recomenda atenção às atividades físicas, ao controle do peso e à glicemia. Isso porque, explica, o sobrepeso, o diabetes e a hipertensão são verdadeiras epidemias no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, e todas essas alterações prejudicam a visão.

Prevalência

Queiroz Neto afirma que um levantamento que realizou no hospital mostra que as doenças oculares são mais frequentes entre mulheres. O mesmo acontece com a depressão, segundo a OMS. No Brasil, a agência calcula que 5,8% da população ou 12 milhões de pessoas têm depressão. O País só fica atrás dos EUA, da Estônia e da Austrália, que ocupam a segunda posição global do transtorno. Em cada um desses países a doença atinge 5,9% da população. A Ucrânia lidera o ranking global, com 6,1% de prevalência.

A metanálise

O especialista conta que a metanálise que correlaciona saúde ocular e depressão foi realizada na universidade de Sun Yat-sem (China) com base em 28 estudos selecionados a partir de mais de 3 mil referências. As doenças analisadas foram olho seco, glaucoma, degeneração macular e catarata. Em média, 25% dos portadores desenvolveram depressão. A prevalência associada a cada uma delas foi de: 29% para olho seco, 25% para glaucoma, 24% para degeneração macular e 23% para catarata. Não é para menos. A nossa independência e interação com o meio ambiente depende em 85% da visão e estas doenças reduzem a agilidade.

Cuidados e Prevenção

 

Catarata

Quem viver, um dia terá e certamente é a principal causa de depressão relacionada à saúde ocular. Isso porque responde por 49% dos casos de cegueira no Brasil, ou seja, atualmente incapacita 700 mil brasileiros. O médico Leôncio Queiroz Neto explica que, na maioria dos casos, está relacionada ao envelhecimento que torna opaco nosso cristalino, lente interna do olho. A boa notícia é que essa cegueira é reversível. O único tratamento é o implante de uma lente dentro do olho que substitui o cristalino opaco. Para quem depende do sistema público de saúde a dica do oftalmologista é programar uma consulta oftalmológica anualmente. Isso porque, no início, a catarata não é percebida e na maioria dos casos a cirurgia só acontece depois de meses do diagnóstico e até mais de um ano. O especialista ressalta que quem faz tratamento com corticoide ou toma antidepressivo deve programar as consultas semestralmente porque alguns medicamentos aumentam em até 50% o risco de desenvolver catarata.

Olho seco

Leôncio Queiroz Neto explica que, embora não seja uma doença grave, pode causar lesões na córnea e queda na acuidade visual. É uma deficiência da lágrima que atinge 12% de todas as faixas etárias da população por causa do uso das telas digitais, salienta. Um levantamento realizado pelo médico mostra que, entre pessoas com ceratocone, doença que afina e deforma a córnea, esse índice sobre para 24%.

As principais prevenções listadas pelo oftalmologista são: evitar o excesso de ar refrigerado ou aquecido; beber 2 litros de água/dia; consumir fontes de ômega 3 – linhaça, salmão, sardinha, castanhas ou bacalhau; piscar voluntariamente em frente às telas digitais e desviar os olhos para um ponto distante a cada meia hora.

Se ainda assim continuar tendo a sensação de areia nos olhos, vermelhidão e visão embaçada, deve consultar um oftalmologista. “Usar colírio lubrificante impróprio pode causar olho seco crônico” alerta.

A última palavra em tratamento são as aplicações de luz pulsada que estimulam a produção da lágrima.

Degeneração macular

É a perda da visão central relacionada ao envelhecimento, histórico familiar, hábito de fumar, má circulação relacionada ao diabetes ou hipertensão arterial e exposição dos olhos ao sol sem lentes com filtro ultravioleta. A dica do especialista para perceber a doença no início é observar se enxerga linhas tortuosas em uma moldura, ocluindo um olho e depois o outro com a mão em concha. Caso o contorno deforme deve consultar um oftalmologista imediatamente para interromper o processo de degeneração na retina.

Glaucoma

O oftalmologista afirma que a doença não tem sintomas no início. Maior causa de cegueira irreparável no mundo, o glaucoma é causado em 90% dos casos pelo aumento da pressão intraocular que provoca a morte de células do nervo óptico. “Quem tem casos na família, ascendentes negros ou é asiático deve consultar um oftalmologista anualmente a partir dos 40 anos”.