A Sanepar e a prefeitura de Toledo, no Oeste do Paraná, atuam em parceria em um projeto ambiental no município. Recursos repassados pela Companhia ao Fundo Municipal de Meio Ambiente viabilizam a recuperação do Rio Toledo. A ação ganha destaque nesta terça-feira, 24 de novembro, em que se comemora o Dia do Rio.

O projeto completo, chamado Vale dos Ipês, é de um parque linear com 15 quilômetros de extensão no entorno do rio, no perímetro urbano. Em cinco quilômetros, já foram feitas ações de paisagismo, implantadas ciclovias e recuperadas sete nascentes. O projeto contempla a retirada das leucenas, árvores consideradas invasoras, e será feito o plantio de espécies da Mata Atlântica, como ipê, jacarandá e peroba.

De 2019 até outubro deste ano, a Sanepar repassou R$ 1,25 milhão ao Fundo Municipal. Desse total, cerca de R$ 600 mil já foram aplicados na revitalização do rio, que responde por 37% do abastecimento da cidade.

A Sanepar também eliminou todas as ligações irregulares de esgoto em galerias pluviais identificadas ao longo deste trecho do rio e desativou antigas estações de tratamento de esgoto, entre elas a ETE Paulista, que ficava no entorno. Parte da área foi doada à prefeitura e será integrada ao Vale dos Ipês.

MELHORIA DA ÁGUA – A melhoria da qualidade da água foi significativa, conforme atestam as análises laboratoriais, e também perceptível para a população, que voltou a tomar banho no Rio Toledo nos dias mais quentes.

Moradora há quatro anos na região, Maria Aparecida Israel diz que sente os benefícios da revitalização. “Antes tinha muito lixo. Agora está muito mais limpo e mais bonito”, diz. Da varanda da casa, ela conta que pode ver, nos dias mais quentes, as crianças brincarem no rio. “E nos fins de semana, vem muita gente pescar”, afirma.

O biólogo, professor da PUC-PR e presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Toledo, Julio Daniel do Vale, explica que a falta de cuidados ambientais e a alta ocupação urbana fizeram com que o local se transformasse em depósito de lixo.

“Sem despejo de esgoto e sem assoreamento, as características de área verde mesmo dentro de um ambiente urbano são mantidas. A comunidade acaba se apossando da região, aproveitando a paisagem, e passam a zelar por esta área”.