Brasília – Durante visita à capital federal nesta semana, o prefeito de Toledo, Beto Lunitti, cumpriu agenda com o presidente da Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), o general Oswaldo de Jesus Ferreira, a fim de discutir a gestão do Hospital Regional de Toledo, que se encaminha para a fase final da reforma e ainda não possui um plano de gestão.

De acordo com Lunitti, o encontro não foi como o esperado e as notícias não são boas para Toledo, isso porque a Ebserh se negou a assumir a gestão do hospital. “A reunião não foi boa para Toledo. A Ebserh definitivamente disse que não irá ‘tocar’ o Hospital Regional. A gente recebe com tristeza essa notícia, mas isso não tira nossa energia e vontade de abrir o hospital o quanto antes”, assegura.

Diante da negativa, Toledo precisa encontrar agora outra forma para garantir a abertura do hospital, contudo, isso não está tirando o sono de Lunitti, que afirma já ter outros planos. “Agora, voltando a Toledo, vamos regulamentar uma lei municipal que trata de organizações sociais e vamos trabalhar na perspectiva de abrir um chamamento público para que uma organização social possa gerir o hospital. Em outros estados isso já é comum. Não temos outra forma se não trabalhar nessa perspectiva. É claro que temos ainda uma rodada com o governo do Estado, que sinaliza que é parceiro, mas o rumo será esse”, complementa.

Leia também: