Cascavel – Uma carta assinada por diversas entidades do setor produtivo do interior do Paraná pede urgência ao Estado nas reintegrações de posse de propriedades produtivas invadidas nos últimos anos no Estado. São 72 os mandados de reintegração já concedidos pela Justiça e não cumpridos pelo governo paranaense. Inclusive, há casos em que o governador Beto Richa paga multa diária pela não observação da ordem judicial.

O documento alerta também para o risco de instabilidade que toma o campo e dos desdobramentos, ainda mais graves, que poderão ocorrer caso a lei e o constitucional direito à propriedade não forem cumpridos. Líderes de várias áreas estiveram reunidos na manhã terça-feira (28), na Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel), para definir os próximos passos de mobilização que tenta preservar a paz no campo.

O documento passa a ser encaminhado aos deputados e parlamentares paranaenses, à Associação dos Municípios do Paraná, ao governador Beto Richa, à Procuradoria Geral do Estado, à Assembleia Legislativa, ao Tribunal de Justiça e ao Ministério da Justiça, bem como à Presidência da República.

“Sem o cumprimento às leis e à Constituição, o Estado e a sociedade perdem sentido”, alerta o presidente da Subseção de Cascavel da Ordem dos Advogados do Brasil, Juliano Murbach.