O diretor de uma clínica de repouso foi preso em flagrante, na manhã desta quinta-feira (12), por manter 33 mulheres aprisionadas em celas no estabelecimento, no Bairro Mirandão, em Crato, no interior do Ceará. A polícia começou a investigar o diretor após receber um bilhete escrito por uma das vítimas e entregue a uma familiar.

 

O diretor da clínica, Fábio Luna dos Santos, de 35 anos, foi levado do local para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) do Crato por policiais civis. Eles cumpriram um mandado de prisão preventiva contra ele por denúncias de abuso sexual contra duas vítimas quando se depararam com a situação da instituição. A defesa de Santos não foi localizada.

O local abrigava idosas e internas com problemas psiquiátricos, que tinham entre 30 e 90 anos de idade.

Durante a abordagem, os policiais flagraram as mulheres presas em celas, com cadeados, sem condições sanitárias. A titular da DDM do Crato, Camila Brito, disse que “o local era fétido, tinha mau-cheiro, não tinha ventilação, havia restos de comida dentro de baldes espalhados, cinco cachorros de médio porte, porcos”, enumera. Com isso, o diretor também foi autuado em flagrante por maus-tratos e cárcere privado.

O homem também é investigado por maus-tratos, violência física e psicológica e apropriação dos benefícios das internas.

Fonte: G1 Ceará