BANDEIRADA

Cuidado com golpes na hora de comprar um carro usado

04 de junho de 2022 às 08:30
Publicidade

 

 

A compra de um carro usado muitas vezes é a realização de um sonho, porém se alguns cuidados não forem tomados, a transação pode se tornar um pesadelo, trazendo diversos problemas para o comprador. Isso porque alguns criminosos se aproveitam do momento para aplicar golpes, que podem, inclusive, trazer riscos para a segurança dos que utilizam o automóvel.

De acordo com um levantamento feito pela Super Visão, uma das maiores redes de franquias de vistorias automotivas do Brasil, com dados de sistema referentes as vistorias Certicar e Cautelar, os golpes são realizados com frequência. Segundo as informações levantadas, cerca de 13% dos automóveis apresentam adulterações, falta de regularização, sinistros ou reparos estruturais significativos motivados por danos severos. Além disso, 27% possuem restrições que depreciam o carro ou que podem causar transtornos para a sua regularização.

Os 6 principais golpes realizados na hora de comprar um veículo usado:

 

1 – Ocultar colisões

Bater o carro pode comprometer a lataria, por isso os reparos devem ser realizados com peças autênticas para não desvalorizar o veículo.

Porém, o valor desse serviço (e das peças) costumam ser mais elevados e muitos optam por apenas disfarçar as batidas, colocando uma “massa” e pintando por cima.

 

2 – Adulterar a quilometragem

Neste caso, o proprietário diminui a quilometragem percorrida para valorizar o veículo. Por isso, é importante verificar outros aspectos do carro, como bancos, volante e câmbio, que podem ser bons indicativos da condição real do carro.

 

3 – Carga no ar-condicionado

Para mascarar falhas no ar-condicionado, algumas pessoas realizam uma carga de gás nesse aparelho. É importante verificar se não há algum vazamento. Se houver, pode ser que o aparelho pare de funcionar de novo em um curto período.

 

4 – Peças piratas

Às vezes, as peças precisam ser trocadas, seja por colisão ou por ação do tempo. Porém, como as peças originais são mais caras, muitos proprietários optam pelo uso de peças paralelas. É importante atentar-se ao uso de peças piratas, que parecem originais, mas tem uma qualidade muito inferior.

 

5 – Situação dos pneus

Algumas pessoas mascaram os defeitos e desgastes dos pneus com produtos como silicone e reparador, para que pareçam ser novos. Como um pneu padrão costuma durar mais ou menos 40 mil quilômetros, é preciso ficar atento se a troca foi realizada antes de atingir essa marca ou se os pneus aparentem estar novos demais.

 

6 – Carro com valor muito abaixo da tabela

Existem quadrilhas especializadas em falsificar documentos e clonar carros advindos de furtos ou roubos. Há também pessoas que compram o veículo em nomes de laranjas e vendem por um preço mais baixo, pois não pretendem pagar o financiamento. Por isso, é extremamente importante saber a procedência do veículo.

 

Como evitar cair nesses golpes?

A melhor forma de evitar cair nesses golpes é avaliar as reais condições estruturais, da pintura, manutenção e de identificação do carro, assim como analisar a procedência e histórico, tanto do carro quanto da documentação.

Para isso, o ideal é procurar a ajuda de um especialista em vistoria automotiva. “Durante as vistorias Certicar e Cautelar verificamos toda a funilaria e presença de itens acessórios, analisamos a integridade estrutural, originalidade de chassi, motor e câmbio, além de fazermos uma checagem do histórico do veículo e da situação documental do carro, o que ajuda a evitar fraudes, além de garantir que os equipamentos obrigatórios estão em estado de uso adequado para a circulação no trânsito”, explica Beto Reis, sócio-diretor da Super Visão, a maior rede de franquias de vistorias automotivas do Brasil.

 

 

Crédito: Divulgação

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE