Jaqueline Aparecida Duarte dos Santos, de 47 anos, foi assassinada na madrugada desse sábado (21), na Rua João Dembinski, no bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC), enquanto estava em casa com o marido e o filho, de 10 anos. O principal suspeito pelo crime é o genro da vítima, identificado por testemunhas como Lauriano dos Santos Souza. Pouco antes dos disparos, a criança que estava na residência pediu ajuda para um cunhado.

O menino tentou ligar para Andreus, que é marido de uma de suas irmãs, filha de Jaqueline. Entretanto, como era por volta de 1h30, a chamada não foi atendida. Então o garoto resolveu mandar um áudio por meio de um aplicativo de troca de mensagens.

“Andreus, por favor atende. Você precisa atender”, declarou o menino, com a voz bastante embargada, como se estivesse chorando.

Após escutar o áudio e ver as ligações, Andreus entrou em contato com os familiares e descobriu o crime. Jaqueline já estava morta.

Genro está desaparecido
O homem de 34 anos matou a tiro a própria sogra, Jaqueline Aparecida Duarte dos Santos, 47 anos. A principio, a motivação do crime foi um desentendimento entre o suspeito e a esposa. O homicídio foi na residência da vítima, por volta das 2h, deste sábado (21).

Conforme a polícia, o suspeito, que foi candidato a vereador pelo partido Trabalhista Cristão (PTC) ano passado, chegou nervoso à casa da sogra às 2h. A filha da vítima, Keury, que está em processo de separação do suspeito, relatou que sua mãe assistia um filme com o marido, Cleber, quando o rapaz entrou a afirmou que mataria a sogra e a esposa. Mas logo em seguida, ele saiu nervoso da residência. Depois voltou e pediu um copo de água a Cleber.

Assim que o sogro foi à cozinha pegar o copo de água, ele sacou uma arma e atirou em Jaqueline, que morreu no sofá de casa com seis tiros. Ela morreu na hora e não houve tempo do Siate socorrê-la.

O suspeito fugiu e é procurado pela polícia. A família de Jaqueline foi à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na manhã deste sábado para prestar depoimento.

Com informações da Ric Mais