Os colégios Arnaldo Busatto e Barão do Rio Branco suspenderam turmas de alunos após uma professora que trabalha nas duas instituições ter sido diagnosticada com covid-19. A dispensa das aulas presenciais é pelo período de dez dias.

No Colégio Arnaldo Busatto, localizado na região de Três Lagoas, foram suspensas quatro classes do Ensino Médio noturno. A instituição já havia registrado casos de covid-19 em dois estudantes e em dois agentes educacionais, a partir do retorno às aulas presenciais, em maio.

Já no Colégio Barão do Rio Branco, no Polo Centro, foram interrompidas as atividades em sala para uma turma do curso de formação de docentes do período da tarde. Anteriormente, uma professora da escola que participou da entrega de materiais pedagógicos impressos havia sido diagnosticada com a doença.

“O número de casos de covid-19 dá sinais de alta em Foz do Iguaçu, a comunidade escolar não está imunizada e a variante delta, mais transmissível, tem circulação comunitária no estado”, contextualiza o presidente da APP-Sindicato/Foz, Diego Valdez. “Mas nada disso sensibiliza o governo, que impõe as aulas presenciais”, frisa.

Para agravar, afirma, a gestão estadual determinou o aumento do número de alunos por sala de aula, reduzindo o distanciamento obrigatório entre as carteiras de 1,5 metro para 1 metro. “Pais e mães que não concordam com o retorno de seus filhos às aulas presenciais são pressionados, devendo até mesmo apresentar justificativas por escrito”, expõe Diego.

Flávio Warken

Além da nova ocorrência nos colégios Arnaldo Busatto e Barão do Rio Branco, uma pedagoga do Colégio Flávio Warken, que fica na Vila C, também foi infectada pelo novo coronavírus. Nesse caso, não houve dispensa de atividades presenciais.

Assim, aumentou para 14 o número de estabelecimentos de ensino da área de abrangência do Núcleo Regional de Educação de Foz do Iguaçu (NRE) que registraram casos de covid-19, desde maio. São eles:

– Foz do Iguaçu: Arnaldo Busatto, Ayrton Senna da Silva, Barão do Rio Branco, Castelo Branco, Costa e Silva, Flávio Warken, Jorge Schimmelpfeng e Pioneiros;

– Santa Terezinha de Itaipu: Dom Manoel Konner e Angelo Antonio Benedet;

– São Miguel do Iguaçu: Dom Pedro II;

– Medianeira: Naira Fellini (mais uma escola teve caso confirmado na cidade, mas o nome não é divulgado, a pedido da educadora); e

– Missal: Padre Eduardo Michelis.