Profissionais das áreas de mercado, varejo e marketing das cooperativas Copacol, Copagril, Cooperaliança, Castrolanda, Frimesa, C.Vale, Cocamar, Primato e Lar se reuniram na reunião do PRC 100 (Comitê de Mercado do Plano Paraná Cooperativo), em Cafelândia, na sede da Aercol (Associação dos Funcionários da Copacol).

O encontro foi coordenado pelo superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, e contou ainda com a presença do presidente da Copacol, Valter Pitol, do diretor da Partner Consulting, Pedro Guimarães, do coordenador de comunicação social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, e dos palestrantes Tatiana Palermo – que foi secretária de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura e hoje exerce o cargo de secretária-executiva adjunta da Secretaria-Geral da Presidência da República -, e do publicitário Dado Borell.

O presidente da Copacol fez questão de ressaltar a importância de reunir esses profissionais para tratar sobre estratégias para as cooperativas. "Especialmente num momento em que enfrentamos mais um embate no mercado externo com a recente decisão tomada pela Comunidade Europeia em relação à carne de frango brasileira", frisou.

Apresentação

A assessora de projetos sociais da Copacol, Elizete Lunelli Dal Molin, fez uma apresentação do trabalho realizado pela cooperativa voltado para o quadro social e a comunidade. Ela falou que hoje a cooperativa tem 5,7 mil cooperados e que estão em andamento cerca de cinco projetos sociais que envolvem 27 mil crianças em dez municípios de sua área de ação. Ela destacou o Busão da Imaginação, o Apoio Cultural, o Proerd e o Cooperjovem.

Desafios

Já o superintendente comercial e de marketing da Copacol, Valdemir Paulino, reconheceu o elevado número de desafios a serem superados. "Precisamos estar preparados para esses movimentos que ocorrem no mundo e no Brasil".

Paulino, que atua há 20 anos na cooperativa, 15 anos destes na área comercial, apresentou alguns avanços: "Temos procurado atuar em todos os canais de distribuição, seja no varejo ou atacado".

Cabotagem

Ele destacou o trabalho de cabotagem que vem sendo realizado pela cooperativa e que tem dado oportunidade de colocar os produtos no extremo do País, com uma redução de custos de cerca de 30%. A cooperativa tem centrado na realização de parcerias e de intercooperação com o intuito de aumentar o mix de produtos, que hoje já atinge 52 industrializados. "Além disso, temos investido muito numa estratégia para dar maior visibilidade para a nossa marca. Sem dúvida dá trabalho, mas também bons resultados na visibilidade da nossa marca".

Exportações

Paulino ainda citou o crescimento das exportações: "Alguns anos nossos produtos eram focados em 30% no mercado externo e 70% do interno. Passamos para 60/40 e hoje estamos equilibrados, 50% para cada mercado".

Ele também destacou o sucesso do case sobre o peixe, que, segundo ele, "veio para ficar". Hoje, 52% do peixe consumido no Brasil é tilápia. Atuam neste mercado hoje tanto a Copacol, que foi a pioneira, e, mais recentemente, a C.Vale, de Palotina.