COTIDIANO

Comércio de Cascavel e Londrina são os mais otimistas com “Dia dos Pais”

03 de agosto de 2022 às 10:07
Rio de Janeiro - Vitrine de roupas em loja de rua, comércio no Centro do Rio. (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Publicidade

Cascavel – Pesquisa contratada pela Faciap (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná) aponta que a maioria dos comerciantes paranaenses acredita em um aumento de 8% nas vendas relativas ao Dias dos Pais neste ano, em relação ao mesmo período de 2021. O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 24 de julho, pelo Grupo Datacenso, e foram ouvidos 500 consumidores e 500 comerciantes nas regiões de Curitiba e Região Metropolitana, Londrina, Maringá, Cascavel (e Foz do Iguaçu), Ponta Grossa, Guarapuava e Francisco Beltrão (e Pato Branco).

De acordo com o estudo, 79% dos comerciantes paranaenses estão esperançosos com o desempenho do seu negócio, principalmente os de Londrina e Cascavel. Oito em cada 10 comerciantes se dizem animados com o futuro. Quanto à expectativa em relação ao rumo da economia, praticamente metade dos comerciantes está preocupada: 49%. Mas, 42% estão otimistas com a evolução do cenário econômico. Os comerciantes das regiões de Cascavel e Ponta Grossa estão mais preocupados.

O Índice de Confiança do Comerciante, que vai de 0 a 200 pontos e que avalia o estado de entusiasmo do lojista em relação à atual situação econômica do Brasil e a situação financeira dos clientes para os próximos seis meses, ficou em 157 pontos, demonstrando que os lojistas estão mais animados.

Presentes

Os principais presentes que os consumidores paranaenses pretendem comprar para aos pais são, em primeiro lugar, vestuário/calçados, seguido de almoço/jantar, bebidas e perfume/cosméticos. Analisando por gênero, o percentual de vestuário/calçados e perfumes/cosméticos é maior no feminino, e o de eletrônicos no masculino.

No geral, mais da metade dos consumidores pretende gastar na compra do presente do Dia dos Pais, o mesmo valor que o ano passado (R$ 168,69). Parte significativa respondeu que irá gastar mais este ano. O tíquete médio previsto, no geral, é de R$ 174,50. Tem diferença por região, Cascavel apresenta o maior valor, já Guarapuava, o menor.

A pesquisa aponta, também, que o número de consumidores paranaenses que pretendem comprar o presente em lojas físicas apresentou crescimento significativo. Portanto, este novo comportamento de compra mostra que existe oportunidade para os comerciantes investirem tanto na comunicação presencial quanto na digital, ou seja, é recomendável que se faça uma comunicação híbrida.

Foto: Arquivo/ABr

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE