Calote em série

Nos últimos quatro meses, o Brasil contabilizou calote de mais de R$ 1 bilhão em parcelas de empréstimos concedidos pelo BNDES para Venezuela, Cuba e Moçambique. Ao criticar o calote e “irresponsabilidade” dos governos do PT na concessão dos empréstimos, o deputado Fábio Souza (PSDB-GO) afirma que, se o dinheiro tivesse ficado no Brasil e fosse investido em empreendedorismo, “a crise econômica que enfrentamos, que foi a maior de todos os tempos, teria sido amenizada”. O tucano é autor do projeto (7.375/17) que proíbe o BNDES de conceder empréstimos para bancar empreendimentos no exterior.

Carteira assinada?

Lembra do ministro do Trabalho Helton Yomura ligado ao PTB e afastado pela PF do cargo? Ganhou um afago do Comitê de Ética da Presidência. Poderá trabalhar na praça.

Na reserva

Já o general da reserva Franklinberg de Freitas, que fez boa e honesta gestão à frente da Funai, terá de cumprir quarentena antes de ingressar no mercado.

Disse-me-disse

Paulo Guedes foi claro: estuda-se um imposto para substituir quatro. A similaridade com a CPMF é que incidiria sobre transações financeiras. Mas até explicar… virou fofoca.

Onde foi?

A Datafolha de sondagem nacional divulgada ontem custou R$ 398 mil. Foi encomendada pela Folha de S.Paulo e por empresas do sistema Globo, inclusive pela Som Livre. Mas não entregou ao TSE o registro de cidades onde foi feita a pesquisa, conforme constava no site do Tribunal ontem.

Turma do milhão

Já o último Ibope nacional, de terça-feira, custou R$ 289.441,61, encomendado pela TV Globo e pelo Estadão. O Ibope entrega ao TSE a lista de cidades pesquisadas. A Globo aposta alto. Numa nota só pagou ao Ibope R$ 3,97 milhões pelas sondagens nacionais e cenários nos estados São Paulo, Rio de Janeiro, Minas, Pernambuco e Distrito Federal.

Como?!

O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, assina com outros 12 deputados a autoria do PL 6055/13 que impede o SUS de atender integral e obrigatoriamente mulheres vítimas de abuso sexual. Lei sancionada pela ex-presidente Dilma em 2013.

Radiografia

A proposta de Bolsonaro e dos colegas permanece paralisada na Mesa Diretora. Dados do Atlas da Violência de 2018 revelaram aumento de notificações de casos de estupro. Entre 2001 e 2016, o crescimento foi de 90,2%. A assessoria de Bolsonaro não respondeu a Coluna.

MDB já sabia

Pesquisas internas do MDB mostram ascensão meteórica de Haddad (PT), com 21% – pouco maior que o divulgado por Ibope e Datafolha, mas confirmando tendência.

Bancada 1

Caciques do PT apostam que a bancada federal em 2019 passará dos atuais 57 deputados, a despeito de Lula preso, da debandada de eleitos e da crise de imagem.

Bancada 2

Grãos-tucanos já fazem as contas do número de eleitos para a Câmara com o derretimento de Alckmin nas pesquisas. Hoje são 46. Sonhavam mais que isso, mas se dizem satisfeitos se mantiverem esse patamar.

Lupa neles!

Reboliço na CNC. O procurador do Ministério Público no TCU, Júlio Marcelo de Oliveira – o mesmo que reprovou as contas do Governo Dilma e abriu caminho para o impeachment – pediu a suspensão da eleição para a presidência e diretorias da CNC. Alguns dirigentes que concorrem à nacional e estaduais estão enrolados com a Justiça.

Enfim!

Está pronto para votação Senado projeto que obriga o detento a ressarcir o Estado das despesas com sua manutenção na cadeia. A Proposta 580/15, do senador Waldemir Moka (MDB-MS), altera a Lei de Execução Penal e estabelece como obrigatório o ressarcimento, “independentemente das circunstâncias, e que, se não possuir recursos próprios, o apenado pagará com trabalho”.