Cascavel – A previsão do tempo para esta semana traz boas novas aos agricultores da região oeste do Paraná. Segundo o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná), a previsão é de chuva desta terça (14) até sexta-feira (17).

O Simepar prevê que o acumulado de chuva não passe de 22 milímetros, mas o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê que a chuva desta semana possa chegar a 55mm em boa parte da região, o que representa um alívio para quem pretende plantar soja e milho.

A primeira estimativa do Deral (Departamento de Economia Rural), divulgada em agosto, é de que sejam produzidas 25.509.900 de toneladas em 6,2 milhões de hectares contra 23.301.770 em 6,1 milhões de hectares na safra 2020/21. A safra de grãos de verão 2021/22 deve ter crescimento de 9% em relação ao ciclo anterior no Paraná.

O volume esperado para a safra de soja no ciclo 2021/22 deve ser de 20.954.700 toneladas, o que representa um aumento de 6% em relação ao ciclo 2020/21.

Pela estimativa do Deral, devem ser produzidas 4.116.200 toneladas, volume 32% superior às 3.115.200 toneladas do mesmo período no ciclo anterior. Em termos de área, os produtores ampliaram de 372,5 mil hectares para 422 mil hectares (+13%).

Segundo a economista Jovir Esser, do Deral de Cascavel, “a área de verão plantada está em 5% para o milho e 2% para a soja e caso ocorra chuva generalizada os produtores devem intensificar o plantio”.

Outra cultura que deve ter aumento de 2% na produção é o arroz sequeiro, que passa de 5,2 mil toneladas para 5,3 mil toneladas na mesma área de 2,6 mil hectares do ciclo 2020/21.

Ferrugem asiática

Neste ano, para garantir um efetivo maior no controle da ferrugem asiática, o Ministério da Agricultura alterou o calendário de semeadura da soja que pode ser plantada até 31 de janeiro de 2022.

O último dia de fiscalização da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) foi ontem (13) e, de acordo com o engenheiro agrônomo e fiscal da Adapar, Américo Onaka, durante o período de vazio sanitário deste ano, nenhuma propriedade foi autuada com plantas vivas de soja na região, o que pode garantir uma melhor qualidade do grão para o ciclo.