Cascavel – Desde o dia 30 de junho, a Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) deixou de existir oficialmente, devido à baixa do CNPJ da empresa pública. Em solenidade nessa quarta-feira (7), o prefeito Leonaldo Paranhos anunciou a extinção da companhia e inaugurou a sede da Transitar, na Rua Erechim, 1.436. Paranhos disse que o momento é de comemorar, porque o trânsito de Cascavel vive um novo momento de gestão.

“Com esse ato da extinção, já economizamos anualmente, aproximadamente, R$ 10 milhões e até o fim da gestão devemos chegar a R$ 40 milhões de economia. Ao mesmo tempo criamos uma nova concepção de trânsito. A gente já vê os reflexos de um novo modelo, com trânsito humanizado e isso tudo é motivo de comemoração, com uma nova sede que tem um espaço exemplar, juntando todos os serviços de trânsito e facilitando a vida dos nossos cidadãos”, destacou Paranhos.

Segundo o prefeito, da forma como estava, o fim da Cettrans era inevitável. “Ela iria falir, era uma empresa que pagava muito imposto e com muitos gargalos que eram necessários resolver. Com a criação da Transitar, nós transformamos esses funcionários em servidores públicos do Município, salvamos a empresa, economizamos recursos e hoje podemos garantir aos nossos servidores uma melhoria nos processos de trabalho”, resume.

A presidente da Transitar, Simoni Soares, diz que a Cettrans se tornou uma empresa insolvente e que não sobreviveria em 2020. “A Cettrans já apresentava insolvência perante o Tribunal de Contas. Analisando todo o processo da companhia, ela não sobreviveria ao ano de 2020, que se agravou com a pandemia e a consequente queda de receitas. Isso significa que ela não tinha mais vida útil. A Transitar aconteceu no momento certo, assim como o processo de liquidação e extinção”, enfatiza.

 

Economia

A mudança trouxe economias que já são sentidas na autarquia. Somente no pagamento de impostos sobre faturamento, a redução anual foi de 92,5%, caindo de R$ 2,1 milhões para R$ 157,3 mil. As despesas com pessoal saíram de R$ 15,2 milhões para R$ 10,7 milhões, uma queda de 29,3%.

No início do processo de liquidação havia 251 empregados públicos na Cettrans. A Transitar conta com 176 servidores, representando uma redução de pessoal de 30%. Essa redução no quadro exigiu ações para manter o atendimento, melhorando a qualidade dos serviços mesmo com pouca mão de obra.