Casos de dengue na região alertam também população de Missal

O percentual de infestação do mosquito transmissor da dengue é considerado alto no município

No município de Missal ainda não há nenhum caso confirmado de dengue neste ano de 2020. Porém, segundo o último LIRAa (Levantamento Rápido de Índice do Aedes Aegypti), o percentual de infestação do mosquito transmissor da dengue é de 3,9%, considerado alto, o que coloca o município de Missal em estado de alerta da doença. Ainda de acordo com o último LIRAa, há também um índice de infestação de outro mosquito transmissor da dengue, o Aedes Albopictus, o que aumenta a preocupação.

Na região, diversos municípios vizinhos a Missal já tiveram casos confirmados de dengue e também possuem índice de infestação elevado. No verão, muitas pessoas visitam outras cidades, principalmente em função das férias, ou mesmo procurando pontos de lazer em outros municípios, o que pode fazer com que alguém contraia dengue. A fim de evitar transtornos e epidemias, a Administração Municipal de Missal alerta novamente sobre os cuidados a fim de eliminar locais com água parada e tomar todas as precauções necessárias.

Segundo informações do setor de endemias de Missal, foram realizadas vistorias em 230 imóveis entre os dias 06 a 10 de janeiro, chegando aos índices informados de 3,9% e 0,9%. Entre os pontos com focos dos mosquitos
transmissores, destacam-se pequenos depósitos móveis, depósitos fixos, pneus e outros materiais rodantes e lixo, como recipientes plásticos, latas, sucatas e entulhos. Mesmo sem casos confirmados, Missal, só nesses
primeiros dias de janeiro, já tem 03 notificações de casos suspeitos.

Na última segunda-feira, 20 de janeiro, inclusive o assunto dengue foi pauta da primeira reunião da Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná), em Cascavel, onde participou o prefeito Eduardo. Umas das propostas da entidade é adotar medidas e centralizar a estratégia regional de combate ao
mosquito transmissor.

De acordo com a assessoria da Amop, com a ajuda das Forças Armadas, as prefeituras farão um combate ainda mais intenso contra o surgimento de novos focos do mosquito transmissor. Centralizada pela Amop, a estratégia consiste em intensificar ainda mais as ações já em andamento e fortalecer as iniciativas em conjunto entre duas ou mais prefeituras, principalmente em áreas limítrofes.

As informações dão conta de um aumento de 4000% no aparecimento de focos do mosquito no Paraná. No Estado, 331 municípios estão com infestação do mosquito, inclusive todos os 54 municípios da área de abrangência da Amop. Na região, a média é de 14 imóveis infestados para cada grupo de 100,
situação mais do que alarmante, informou a reportagem.

O Prefeito de Missal, Eduardo Staudt, após a reunião reiterou a preocupação sobre o tema. “Temos uma preocupação muito grande, ainda no ano passado fizemos arrastões, trabalhos de conscientização, e ainda o índice de infestação continua alto, agora o trabalho é no sentido de intensificar a conscientização,
aplicando sanções se necessário”, afirma.



Fale com a Redação

vinte − 12 =