Depois de ter sido anunciada de que não seria realizada neste ano, a Cascavel de Ouro será disputada no dia 31 de dezembro, no Autódromo Zilmar Beux, A realização da tradicional prova foi confirmada ontem e a 35ª edição será com a Gold Classic, que tem como promotor o cascavelense Luc Monteiro.

De 2014 a 2020 a Cascavel de Ouro teve seu grid formado pelos carros de Marcas 1.6, que atualmente compõem o campeonato da Turismo Nacional. Inicialmente, seria o formato para esta 35ª edição, que acabou tendo sua realização cancelada pelo piloto Edson Massaro, promotor do evento desde 2017. A etapa da Gold Classic estava no cronograma do evento.

“Diante das mudanças que ocorreram consideramos a Gold Classic a categoria perfeita para que a Cascavel de Ouro fosse mantida no calendário”, expõe o engenheiro Renato César Pompeu, presidente do Automóvel Clube de Cascavel. “O campeonato nasceu em Cascavel e em poucos anos consolidou um sucesso de aceitação no Brasil inteiro. A Gold Classic, hoje, representa muito desses 55 anos de história do Automóvel Clube”, diz.

A Divisão 4 da Gold Classic, composta pelas classes Premium e Stock, totaliza 22 carros inscritos. Na Divisão 3, com as classes Turismo e GT & Protótipos, são sete carros. São os pilotos que vão disputar a inclusão de seus nomes na galeria dos campeões da Cascavel de Ouro. Essa disputa seguirá um regulamento desportivo particular que não interfere no formato da etapa e na disputa pelo título das categorias do campeonato.

Para a Divisão 2, que tem 12 carros inscritos nas classes GT e Turismo, e a Divisão 1, com 14 carros nas classes Speed e Turismo, a etapa de Cascavel colocará em disputa a 2ª Cascavel de Prata. “As categorias são determinadas pelo potencial e pelas características de cada carro. Proporcionar a Cascavel de Prata para as divisões 1 e 2 é uma forma de contemplar todos com a possibilidade real de fazer história”, considera Monteiro.

 

 

Crédito: Divulgação