Cascavel, Cianorte e Quatro Pontes foram os municípios paranaenses que mais se destacaram na cerimônia de entrega do Prêmio Band Cidades Excelentes, promovido pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação em parceria com o Instituto Aquila. Os vencedores da etapa estadual da edição 2021 foram revelados nessa quinta-feira (21), em cerimônia no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba.

A premiação, realizada pela primeira vez neste ano, reconhece e incentiva propostas de gestão pública que procurem melhorar a qualidade de vida nos municípios. As cidades são premiadas em seis categorias: geral, eficiência fiscal, educação, saúde e bem-estar, infraestrutura e desenvolvimento socioeconômico.

Em cada categoria foram premiados três municípios, divididos segundo seu tamanho: até 30 mil habitantes, 30 mil a 100 mil habitantes e acima de 100 mil habitantes. No total, foram 18 vencedores na etapa regional do prêmio. Os três municípios finalistas da categoria geral – Cascavel (Oeste), Cianorte (Noroeste) e Quatro Pontes (Oeste) – seguem para a etapa nacional, que ocorre em novembro em Brasília, com finalistas dos demais estados.

João Evaristo Debiasi, secretário estadual da Comunicação Social e da Cultura, destacou que o prêmio reconhece os esforços dos gestores bem-sucedidos. “Ninguém mora em um país ou estado. A gente mora na rua, no bairro, no município. É na cidade que a vida efetivamente acontece. É hora de brindar e celebrar os gestores que, dentro de um espírito de serviço público pelo bem comum, se dispõem a entregar o melhor que têm de si para a sociedade”, ressaltou.

“Iniciativas como essa só vêm coroar a importância dos municípios, onde vivemos no nosso dia a dia”, acrescentou.

Uma das categorias avaliadas, a educação, foi um dos maiores desafios enfrentados pelos municípios durante a pandemia. O secretário estadual de Educação, Renato Feder, ressaltou que o resultado da qualidade municipal nesta área é diretamente proporcional à boa gestão dos recursos aplicados.

“O dinheiro gasto por aluno em educação é muito semelhante entre os municípios, sejam eles pequenos ou grandes – mas o resultado é muito diferente, vinculado ao gestor responsável. Dependendo do cuidado pedagógico, o resultado pode ser ótimo ou horrível. Isso foi visto durante a pandemia e no volta às aulas: a qualidade da educação depende de quão técnico é o gestor”, apontou Feder.

AVALIAÇÃO – Para indicar os finalistas, o Instituto Aquila avalia todos os 5.570 municípios brasileiros com indicadores específicos em cada categoria. João Carlos Saad, presidente do Grupo Bandeirantes, explicou que esta primeira edição do prêmio é resultado de 13 anos de planejamento e aperfeiçoamento da metodologia utilizada pelo instituto.

“Buscamos fazer o Oscar da gestão pública, procurando premiar quem melhor cuidou do seu município sob vários ângulos. Para isso, tivemos que buscar dados em todos os municípios brasileiros, padronizando e parametrizando as informações para poder comparar um serviço feito em uma cidade pequena com aquele de uma cidade grande”, ressaltou.

Na categoria de infraestrutura, por exemplo, foram avaliados a oferta de serviços coletivos urbanos, o percentual de abastecimento de água e a frota de veículos por habitante. Na saúde, contam indicadores como cobertura estratégica de saúde da família, expectativa de vida e número de leitos e profissionais da saúde por habitantes. Já o desenvolvimento econômico leva em conta o PIB per capita, o índice GINI e a porcentagem da população economicamente ativa empregada, entre outros.

Na educação, entram critérios como analfabetismo, expectativa de anos de estudo e gastos em educação. Na eficiência fiscal, avaliam-se porcentagem de endividamento, autonomia fiscal, investimento per capita e índice de transparência. Já na geral, é levado em consideração uma média de todas as categorias.

CIDADES PARANAENSES – No Paraná, além da categoria geral, foram premiadas Pato Bragado, Marechal Cândido Rondon, Pinhais, Nova Aurora, Medianeira, Apucarana, Jussara, Laranjeiras do Sul, Lobato, Maringá e Rolândia.

Confira os vencedores e finalistas das seis categorias do prêmio:

GERAL

Até 30 mil habitantes

Vencedor: Quatro Pontes

Finalistas: Entre Rios do Oeste e Mercedes

De 30 mil a 100 mil habitantes

Vencedor: Cianorte

Finalistas: Francisco Beltrão e Palotina

Mais de 100 mil habitantes

Vencedor: Cascavel

Finalistas: Apucarana e Toledo

EFICIÊNCIA FISCAL E TRANSPARÊNCIA

Até 30 mil habitantes

Vencedor: Pato Bragado

Finalistas: Entre Rios do Oeste e Ortigueira

De 30 a 100 mil habitantes

Vencedor: Marechal Cândido Rondon

Finalistas: Palotina e São Mateus do Sul

Mais de 100 mil habitantes

Vencedor: Pinhais

Finalistas: Cascavel e Toledo

EDUCAÇÃO

Até 30 mil habitantes

Vencedor: Nova Aurora

Finalistas: Bom Sucesso do Sul e Quatro Pontes

De 30 a 100 mil habitantes

Vencedor: Medianeira

Finalistas: Paranavaí e Rio Negro

Mais de 100 mil habitantes

Vencedor: Apucarana

Finalistas: Cascavel e Toledo

SAÚDE E BEM-ESTAR

Até 30 mil habitantes

Vencedor: Jussara

Finalistas: Boa Esperança do Iguaçu e Guairacá

De 30 a 100 mil habitantes

Vencedor: Laranjeiras do Sul

Finalistas: Francisco Beltrão e Rio Negro

Mais de 100 mil habitantes

Vencedor: Apucarana

Finalistas: Cascavel e Maringá

INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Até 30 mil habitantes

Vencedor: Lobato

Finalistas: Cafelândia e Quatro Pontes

De 30 a 100 mil habitantes

Vencedor: Cianorte

Finalistas: Cornélio Procópio e Pato Branco

Mais de 100 mil habitantes

Vencedor: Maringá

Finalistas: Arapongas e Umuarama

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Até 30 mil habitantes

Vencedor: Quatro Pontes

Finalistas: Flórida e Iguaraçu

De 30 a 100 mil habitantes

Vencedor: Rolândia

Finalistas: Dois Vizinhos e Francisco Beltrão

Mais de 100 mil habitantes

Vencedor: Maringá

Finalistas: Arapongas e Cambé

(Agência Estado)