São Paulo – O mercado financeiro atuou de forma otimista no primeiro dia após o resultado do primeiro turno das eleições presidenciais. O Ibovespa, principal índice de ações do País, subiu 4,57%, aos 86.083,91 pontos. O índice não terminava acima dos 86 mil pontos desde 16 de maio. O mercado a vista de ações brasileiro teve o maior volume financeiro da sua história, com R$ 28,9 bilhões.

Essa foi a maior alta diária registrada na Bolsa de Valores em dois anos e meio. Em 17 de março de 2016, o Ibovespa subiu 6,6%, em reação à suspensão da posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil.

O dólar, por sua vez, fechou o dia a R$ 3,7635, em queda de 2,4%. É o quinto pregão consecutivo em que o dólar opera apenas abaixo de R$ 4. A moeda americana não terminava abaixo de R$ 3,77 desde 8 de agosto, quando a divisa fechou a R$ 3,7642.

A Bolsa chegou a testar o patamar dos 87 mil pontos pela manhã. A grande vantagem do candidato de direita Jair Bolsonaro (PSL) em relação ao petista Fernando Haddad (PT) e o crescimento do PSL no Congresso sustentaram o otimismo dos investidores. A realidade de um segundo turno com Fernando Haddad (PT), porém, deve conter ganhos.

As ações de estatais como Cemig, Eletrobrás, Petrobras e o Banco do Brasil, conhecido no jargão do mercado como “kit eleições”, lideraram mais um rali no mercado. As ações da fabricante de armas de fogo Forjas Taurus também registraram forte alta.

As ações Eletrobrás PNB fecharam em alta de 18,31%, a R$ 26,75, enquanto ad ON subiram 17,33%, a R$ 22. A Cemig PN teve alta de 17,80%, a R$ 10,19. Petrobras PN fechou em alta de 11,02%, a R$ 26,60, e ON subiu 9,49%, a R$ 29,19. No setor financeiro, destaque para BB ON, com alta de 9,68%.