Barco com oito passageiros que fazia travessia clandestina naufraga no Rio Paraná

Quatro paraguaios estão desaparecidos

Um barco com oito adolescentes paraguaios a bordo, que atravessava clandestinamente o Rio Paraná, de Foz do Iguaçu a Presidente Franco, afundou na noite dessa segunda-feira (4).

Quando usar máscara de pano

O acidente ocorreu por volta de 19h20 no local denominado Muelle, à margem do Rio Paraná, em Presidente Franco.

Quatro adolescentes se salvaram a nado, mas outros quatro ainda estão desaparecidos. As buscas feitas ontem à noite resultaram infrutíferas, e foram retomadas na manhã desta terça-feira (5), pela Armada Nacional.

Um dos adolescentes contou à polícia paraguaia que o barco foi interceptado por uma lancha da Polícia Federal, que teria forçado um choque das embarcações, provocando o naufrágio. Os rapazes estariam de volta ao Paraguai depois de trabalhar em Foz do Iguaçu, provavelmente na construção civil

A Polícia Federal, no entanto, divulgou nota onde garante que todas as embarcações que utiliza estavam atracadas, no horário do acidente. “Logo, tal informação é falsa”, diz a nota.

Há diferença de informação sobre o local do acidente. Enquanto a imprensa paraguaia noticia que foi no local chamado Muelle, a nota da Polícia Federal informa que o barco com os paraguaios teria saído do bairro Remansito, em Ciudad del Este.

Confira abaixo a nota da Polícia Federal na íntegra:

NAUFRÁGIO DE EMBARCAÇÃO NO RIO PARANÁ

Foz do Iguaçu/PR – A Polícia Federal informa que, nesta noite, está circulando nos meios de comunicação a informação do naufrágio de uma embarcação paraguaia que estaria transportando clandestinamente diversas pessoas do Paraguai para o Brasil pelo rio Paraná. A embarcação teria saído do bairro Remansito, em Ciudad del Este, aproximadamente às 19h30min e se chocado contra outra durante a travessia do rio. Especula-se que essa outra embarcação que teria provocado o acidente pertenceria à Polícia Federal. Todavia, a Polícia Federal esclarece que todas as suas embarcações estavam atracadas na base no horário do acidente; logo, tal afirmação é falsa.
A Polícia Federal colocou-se à disposição da Marinha do Brasil e da Armada do Paraguai para auxiliar no resgate das pessoas.

Reportagem: Cláudio Dalla Benetta – H2FOZ

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

dezenove − 16 =