Barbárie – Rapaz de 17 anos confessa que matou prima de oito

O rapaz foi apreendido em flagrante e deve passar por exames para comprovar ou não o desequilíbrio mental

Guaíra – Uma barbárie chocou a população de Guaíra. Um rapaz de 17 anos confessou ter matado a pequena Sara Emanuele Martins, de 8 anos. A criança foi encontrada morta dentro de um saco de lixo no banheiro da casa do tio na madrugada de ontem em Guaíra.

De acordo com o delegado que investiga o caso, Deoclécio Detros, o primo da criança contou em detalhes o que aconteceu: “Ele disse que os dois estavam no banheiro da casa dele quando a matou. A princípio, ele disse que tentou estrangular a criança e que não conseguiu e que por isso cortou o pescoço dela com uma faca, chegando quase a degolar a menina”.

Ainda de acordo com o delegado, o rapaz sofre de problemas mentais e já está em tratamento há alguns anos. Disse que não tinha motivos para o crime.

Conforme o delegado, a convivência entre os primos era normal, já que a criança morava com a avó em uma casa no mesmo lote em que o rapaz morava com o pai.

O rapaz foi apreendido em flagrante e deve passar por exames para comprovar ou não o desequilíbrio mental e posteriormente deve ser encaminhado a um Cense (Centro de Socioeducação) em Foz do Iguaçu ou em Cascavel.

O crime

De acordo com a confissão do rapaz, o crime teria acontecido ainda na quarta-feira (10), durante a tarde. A avó da criança procurou a polícia no fim daquele dia dando queixa do desaparecimento da menina. Mas foi apenas na madrugada de ontem que um familiar da menina procurou a polícia afirmando que tinha visto o tio carregando um saco de lixo de maneira suspeita até um matagal. A polícia foi até a casa e encontrou o corpo da criança dentro do saco.

A polícia já ouviu familiares e vizinhos. A avó e a mãe da criança, que mora em Cascavel, também devem ser ouvidas nos próximos dias.

Ocultação de cadáver

O pai do rapaz e tio da vítima foi preso em flagrante por ocultação de cadáver. Ele confessou ter tentado esconder o corpo para que o filho não fosse detido. “O pai disse que o filho teria escondido o corpo da criança debaixo da cama. E, para evitar que o crime do filho fosse descoberto, teria colocado o corpo dentro do saco de lixo e escondido em um matagal próximo. Só que depois teria voltado até o local e trazido o saco de volta para a casa e o escondido no banheiro, onde foi encontrado pela polícia”, explica o delegado Deoclécio Detros.

Deoclécio afirma ainda que o pai do rapaz também tem problemas psicológicos. Ele continua preso e pelo crime de ocultação a pena pode ser de 1 a 3 anos de prisão.

Abuso sexual

Não está descartada ainda pela polícia a hipótese de que a menina tenha sofrido uma tentativa de abuso sexual, o que poderia ter motivado o crime. Segundo o delegado, isso só poderá ser comprovado após a necropsia do corpo da vítima feita pelo IML (Instituto Médico Legal).

 



Fale com a Redação

dezessete − nove =