Audiência é encerrada por falhas na conexão

Segurança foi reforçada para audiência, que não aconteceu

Seria realizada ontem na sede da Justiça Federal de Cascavel audiência sobre a morte do agente federal Alex Belarmino, executado em 2016, na região do Lago Municipal. A audiência começou às 13h e seria realizada por videoconferência. Uma hora e meia depois foi encerrada devido a problemas de conexão de internet.
Uma das pessoas que seriam ouvidas é Manuel do Nascimento, o Coiote, preso no presídio federal de Mossoró (RN) e considerado de altíssima periculosidade. Ele foi o último suspeito de envolvimento no crime a ser preso e é apontado como um dos principais executores do plano, ordenado pelo PCC (Primeiro Comando da Capital). Ele também estaria envolvido na morte da psicóloga Melissa Almeida, morta quando chegava em casa há dois anos.
A Polícia Federal não soube informar se o depoimento chegou a ser iniciado nem quantas pessoas seriam ouvidas. Nova data deve ser agendada.

O crime
O agente penitenciário Federal Alex Belarmino, 36 anos, foi executado com 23 tiros no dia 2 de setembro de 2016 em uma emboscada na Região do Lago. Lotado no Depen (Departamento Penitenciário Nacional) de Brasília, veio à região ministrar um curso na Penitenciária Federal de Catanduvas.

Confusão
Inicialmente, a Polícia Federal havia divulgado que a audiência seria de testemunhas do Caso Melissa, a psicóloga executada em maio de 2017. A confusão só foi esclarecida à tarde, quando foi informado se tratar do caso da morte de Alex Belarmino.



Fale com a Redação

18 − treze =