Os constantes atrasos no pagamento de salários levaram um grupo de aproximadamente 100 mulheres responsáveis pela limpeza dos Cmeis (Centros Municipais de Educação Infantil) e de escolas de Cascavel a realizar um protesto na manhã de ontem em frente à prefeitura. Elas são terceirizadas e, segundo a prefeitura, apesar de o repasse de R$ 421,6 mil ter sido feito dia 25 de julho, até ontem, dia 14 (20 dias depois), a RR Serviços não havia feito o pagamento para as 175 trabalhadoras que recebem, em média, R$ 1,2 mil de salário por mês.

A princípio está descartada a possibilidade de greve.

Rúbia Maciel Machado conta que não é a primeira vez que atrasa o salário, mas nunca por tantos dias. “As contas estão atrasadas, não sei o que fazer, sou mãe solteira, tenho que pagar as contas, dar conta de tudo dentro de casa e não posso fazer isso porque não recebi meu pagamento”.

Daiane Paes, que integra o Siemaco (Sindicato de Asseio e Conservação), conta que os atrasos no vale-alimentação são mais constantes: “O pagamento é essencial na vida, senão a gente nem trabalhava. Nós trabalhamos porque a gente precisa do salário”.

Na Justiça

Pela manhã, o prefeito Leonaldo Paranhos conversou com as manifestantes, expôs a situação e mostrou que a prefeitura está pagando em dia a empresa.

O rompimento do contrato seria uma das opções, mas poderia criar um problema ainda maior: 175 pessoas desempregadas.

Na segunda-feira (13) o prefeito ligou para o proprietário da empresa, que disse estar passando por “dificuldades”. “Isso não justifica, ele tem que fazer o pagamento até porque a prefeitura repassou o dinheiro”.

Após conversar com as funcionárias, Paranhos e o procurador jurídico, Luciano Braga Côrtes, receberam representantes do sindicato e das funcionárias.

Para que o problema não volte a se repetir, foi sugerido que o sindicato notifique a empresa judicialmente, solicitando que a prefeitura faça os próximos pagamentos diretamente na conta dos trabalhadores e não mais para a empresa. “Nosso Jurídico dará suporte ao Jurídico do sindicato para que possam agilizar esse encaminhamento", garantiu o prefeito.

Vale-transporte

Como as trabalhadoras manifestaram dificuldade de locomoção para voltar ao trabalho, por meio da ValeSim,o prefeito Leonaldo Paranhos disse que será possível adiantar três dias de crédito no cartão de transporte coletivo para viabilizar o transporte até o fim desta semana.

Realinhamento de preços

O proprietário da empresa RR Serviços, Rodrigo Barbosa Freire, diz que o contrato firmado há três anos e meio está defasado e precisa de um reequilíbrio financeiro. “A gente está enfrentando dificuldade desde o início do contrato”, afirma.

Ele disse que a empresa está empenhada em resolver a situação e espera que até o fim de semana os salários sejam depositados. Ele destaca que o valor transferido à empresa pela prefeitura no dia 25 de julho é referente ao serviço prestado em junho, mas isso está dentro do contrato, que prevê pagamento sempre retroativo. Rodrigo cobra um realinhamento de preços.