Após mais de um ano e quatro meses de espera, Octavio Gabriel Gorosito Mattos, de quatro anos de idade, foi autorizado a atravessar a fronteira entre Brasil e Argentina para poder fazer tratamento fisioterapêutico, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.
O menino argentino tem paralisia cerebral e, por causa da fronteira fechada durante a pandemia, estava impedido de fazer a reabilitação na clínica brasileira. Ele mora em Porto Iguaçu, na Argentina, cidade que é ligada a Foz do Iguaçu, pela Ponte Tancredo Neves.
A autorização excepcional para entrada no Brasil foi emitida pelo Itamaraty, na quarta-feira (21), conforme a mãe da criança, Camila Vanesa Mattos.
“Estamos orando a Deus para que dê certo e que segunda-feira possamos estar em Foz do Iguaçu, comemorando que Octavio pode voltar a vida normal”, disse a mãe.

De acordo com a mãe, a autorização é essencial porque não há tratamento adequado para a criança em Porto Iguaçu.
Além disso, a clínica mais perto que poderia oferecer a reabilitação na Argentina fica a mais de 300 quilômetros de distância de onde moram.
“Octavio tem paralisia cerebral severa. Não fala, não anda e não se comunica. Ele não pode viajar tanto porque tem convulsões. Então, o lugar mais próximo é Foz do Iguaçu, que fica a 20 minutos.”

Fonte: G1 Paraná