60230448_Lena Schoneborn of Germany rides on horse XingXing during the women%27s riding show jumping e.jpgRIO – Bronze em Londres e escolhida no último domingo como porta-bandeira da delegação brasileira na cerimônia de abertura, Yane Marques é uma das esperanças brasileiras de medalha na Olimpíada do Rio. A pentatleta pernambucana, porém, tem algumas pedras ? para não dizer pedreiras ? no caminho até o pódio. Em um esporte dominado pelas europeias, ninguém chega mais forte ao Rio de Janeiro do que a alemã Lena Schoneborn, 30 anos, líder disparada do ranking da União Internacional de Pentatlo Moderno (UIPM). Links Pentatlo moderno

Ouro nos Jogos de Pequim-2008, Lena não foi bem em Londres, mas deu a volta por cima nos últimos anos e deixou para trás a atual medalhista de ouro, a lituana Laura Asadauskaite, como principal favorita ao topo no Rio. Atualmente a minha rotina de treinamento consiste em 30 horas semanais, sendo que nado e corro todo dia

? As estatísticas e os números das minhas performances nesta temporada obviamente me colocam na posição de favorita no Rio de Janeiro ? analisa Lena, sem falsa modéstia, em entrevista por e-mail ao GLOBO.

Nascida na pequena cidade de Troisdorf, Lena começou no pentatlo moderno aos 14 anos. Apenas cinco anos depois ela se sagrou campeã mundial júnior em Moscou, na Rússia. A trajetória recheada de conquistas chegou ao auge com o ouro em Pequim, aos 24 anos. O mau resultado em Londres ? quando foi apenas a 15ª colocada ? só fez Lena treinar mais e mais para recuperar seu posto entre as melhores pentatletas do mundo.

? Atualmente a minha rotina de treinamento consiste em 30 horas semanais, sendo que nado e corro todo dia ? diz Lena, de 1,78m e 60kg.

ESPORTE TRADICIONAL

Um dos esportes mais tradicionais das Olimpíadas, o pentatlo moderno está no programa desde os Jogos de 1912 com os homens. As mulheres passaram a competir nos Jogos de Sydney-2000. A modalidade é composta de cinco esportes diferentes, com o objetivo de simular a experiência de um soldado do século 19, que precisaria cavalgar, duelar com uma espada, nadar, correr e atirar com uma pistola.

Na prova atual, o atleta pratica, portanto, esgrima, hipismo (saltando com um cavalo desconhecido, que é determinado por um sorteio realizado 20 minutos antes da prova), natação (200m livres) e uma prova combinada em que o atleta corre 3,2 quilômetros, fazendo quatro paradas para atirar com uma pistola em um alvo posicionado a 10 metros de distância. Em cada prova o atleta recebe pontos de acordo com seu desempenho. Quem tiver a maior pontuação ao fim das cinco provas vence.

No Rio-2016, o pentatlo moderno feminino será disputado nos dias 18 e 19, no Complexo de Deodoro.

? Um pentatleta forte tem que ser muito organizado e capaz de definir prioridades, porque temos que administrar cinco disciplinas diferentes. E isso não é nada fácil ? avalia a alemã.

Forte dentro do esporte, cautelosa e bem informada fora dele. Lena Schoneborn diz não temer qualquer problema com segurança ou o vírus zika, mas revela que pesquisou a respeito da doença para viajar tranquila ao Brasil.

? Coletei muitas informações com diferentes especialistas. Pelo que apurei e pesquisei, os riscos relativos ao zika não serão altos. Quanto à segurança, espero que a cidade tenha tudo planejado para prevenir qualquer problema durante a Olimpíada. Já estive no Rio algumas vezes e nunca tive nenhuma experiência negativa. É questão de ser um pouco cuidadosa sobre a que lugar ir e a que horas ir para diminuir qualquer possível risco.

VITÓRIAS EM 2016

Campeã mundial em 2015, em Berlim, na Alemanha, Lena embalou para uma temporada mágica em 2016. Iniciou o ano vencendo uma etapa da Copa do Mundo da UIPM em fevereiro, em Cairo, no Egito. Em março ficou em segundo lugar em duas etapas da Copa do Mundo, uma em Roma, na Itália, e outra no Rio de Janeiro, em campeonato válido como evento-teste das instalações em Deodoro.

Para completar, ganhou a final da Copa do Mundo, em maio, em Sarasota, nos EUA. Foi essa soma de resultados que a deixou com 210 pontos no ranking, quase 30 a mais que a rival lituana Laura Asadauskaite e a revelação húngara Zsofia Foldhazi.

Com a experiência de 16 anos no pentatlo moderno, Lena não pensa duas vezes ao apontar onde se sente mais à vontade e onde sabe que precisa melhorar para conseguir sua segunda medalha olímpica dourada.

? A minha prova mais forte é a esgrima. Atualmente, estou treinando muito duro para melhorar minha habilidade na natação. Esta é uma prova que não deixou nada satisfeita na última temporada.

No Mundial deste ano, disputado em Moscou, Lena Schoneborn ficou na terceira posição, atrás da húngara Sarolta Kovacs e da francesa Elodie Clouvel. Neste evento, a alemã teve o segundo melhor desempenho na esgrima, mas foi apenas a 22ª na natação. A lituana Laura Asadauskaite ficou em quarto no geral, e Yane Marques acabou em 13º. Laura é apontada por Lena como sua principal rival para as disputas no Rio.

? O ranking mundial já dá uma boa ideia de quem chega bem aos Jogos. Na minha opinião, se a Laura for bem na esgrima ela será uma adversária muito forte.

INVEJA DE YANE

E Yane Marques? O que Lena tem adizer da nossa pernambucana, que ousou se intrometer em um esporte totalmente dominado pelas europeias ao conquistar o bronze nos Jogos de Londres?

? Conheço a Yane há muitos anos. Ela é uma das competidoras mais fortes no campo, mas sempre justa. E ainda por cima é uma pessoa muito doce ? elogia Lena, que acha que a brasileira também vem forte para as disputas em Deodoro.

? Confesso que estou com um pouco de inveja da Yane, porque ela vai ter a chance de brigar por uma medalha olímpica na frente de sua torcida. Isso deve ser uma experiência incrível.