Em Cascavel, os 39 pontos de cultivo do Programa Agricultura Urbana vêm gerando renda e alimentação saudável às famílias que são parceiras no projeto que envolve associações de moradores e o governo municipal, através do Território Cidadão. “O objetivo do prefeito [Leonaldo] Paranhos com o programa de Agricultura Urbana é este: transformar lotes baldios de geradores de problemas em geradores de vida e de alimentos para as famílias. Assim, todas terão uma alimentação mais saudável e esses imóveis permanecerão limpos e bem cuidados", afirma o gestor do Território, José Carlos da Costa, o Cocão.

Além disso, o Agricultura Urbana tem o objetivo também de unir as comunidades e desenvolver o sentimento de "pertencimento" às localidades onde vivem.

Cocão ressalta ainda o sucesso das hortas urbanas, que são implantadas em terrenos baldios, públicos ou privados, que são preparados para o plantio depois de uma minuciosa análise feita por técnicos agrícolas do Município.

“A prova de que esse programa vem cumprindo seu objetivo são esses 60 quilos de feijão que foram colhidos na horta do Linhão, na Avenida das Torres, no Bairro Parque Verde, e o abastecimento já feito em Cmeis e escolas municipais. O feijão preto foi plantado no início de setembro de 2018 e a colheita aconteceu em dezembro. Equipes do Território Cidadão fizeram a colheita, colocaram para secar e depois, manualmente, debulharam as vagens que encheram uma bolsa de 60 quilos e que entregamos ao Provopar”, disse Cocão.

O feijão doado pelo Território irá alimentar as famílias dos Bairros Interlagos e Cascavel Velho, onde funcionam as cozinhas comunitárias.

box

Merenda escolar

As hortas do programa Agricultura Urbana já estão abastecendo as cozinhas de escolas municipais e Cmeis, além das famílias que são responsáveis pelo cultivo e cuidado com a produção. Além disso, toda a comunidade pode adquirir as verduras e os legumes.

box

Produção em alta

Nas hortas dos Bairros Brasília, Neva, Guarujá, São Francisco e Colmeia a produção de verduras, legumes, frutas e ervas medicinais está em alta. É grande a produção de abóbora, maxixe, batata-doce, couve, alface, cheiro-verde, berinjela, tomate, mandioca, milho-verde, chuchu, abobrinha e amendoim, entre outras variedades. Toda essa produção contribui no abastecimento das cozinhas de instituições municipais de ensino e os parceiros do projeto que poderão revender o excedente.

"Pelo Programa de Agricultura Urbana, o Município ajuda no primeiro plantio, cedendo mudas, sementes, adubos e assistência técnica. A partir do momento em que as famílias produzem o suficiente para alimentação e revenda, cabe a elas a responsabilidade pela aquisição de novas sementes e mudas. Mas o Município continua ajudando, caso seja necessário", explica o gestor do Território Cidadão, José Carlos da Costa.