Curitiba – O governo do Paraná aposta que em agosto começará a haver quedas significativas nos índices da pandemia de coronavírus. A meta da Secretaria Estadual de Saúde é de ter nessa data 80% da população adulta com a primeira dose da vacina de covid-19 (aproximadamente 6,9 milhões de pessoas) e 40% da população adulta completamente imunizada com as duas doses (cerca de 3,5 milhões de pessoas). “Entre vacinados da primeira e segunda dose, teremos um percentual interessante em agosto. Isso vai nos dar capacidade de fazer um escudo maior da imunidade, o que vai fazer baixar a transmissão do vírus. Mas, mesmo assim, é preciso manter todas as medidas preventivas, de uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos”, avalia o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, em entrevista ao jornalista Marcos Xavier Vicente, da Gazeta do Povo.

O Paraná se aproxima de ter metade da população adulta vacinada com a primeira dose. Até ontem, 4.265.847 tinham recebido a primeira dose, dos quais 1.319.713 tomaram as duas.

O problema é que as grandes cidades pararam novamente a imunização por falta de doses. Em Curitiba e Cascavel, a aplicação da primeira dose por grupos de idade está parada desde segunda-feira (28). A Sesa espera receber entre quarta e quinta-feira um novo lote do Ministério da Saúde entre 300 mil e 500 mil doses.

Em declínio

A previsão de Beto Preto também se reforça com os dados recentes da pandemia. O Paraná vem registrando queda livre tanto de casos quanto de mortes. A média móvel de mortes ficou em 19/dia, ontem, 85% menor que a de duas semanas atrás. Já a média móvel de casos é de 2.662/dia, decréscimo de 54% na mesma comparação. Confira nos gráficos.

Ontem, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou mais 4.967 casos e 58 mortes pela covid-19. Com isso, o Paraná acumula 1.272.289 infectados desde o início da pandemia, dos quais 30.338 não sobreviveram.

Também houve queda no número de internados. Ontem, havia 4.770 pacientes em leitos exclusivos para tratar covid-19, dos quais 2.224 em UTIs, o menor número desde a primeira quinzena de maio.

Já os óbitos informados se referem a 24 mulheres e 34 homens, com idades que variam de 22 a 88 anos, ocorridos de 20 de maio a 29 de junho de 2021.