Acusado de matar por registro de filho vai a júri

A acusação é de homicídio qualificado por motivo fútil

Senta hoje no banco dos réus do Fórum Estadual de Cascavel Adilson Amorin Salas. Ele é acusado de matar a tiros Gelson Ribeiro Melo. O crime aconteceu em novembro de 2015, no Bairro Gramado, em Cascavel.

Conforme a denúncia, Adilson e outros dois homens teriam abordado Gelson na rua e atirado diversas vezes contra ele.

A acusação é de homicídio qualificado por motivo fútil, já que o crime teria sido cometido por uma disputa por um registro de paternidade entre a vítima e o acusado.

Consta nos autos que Gelson teria tido um relacionamento amoroso com uma mulher chamada Sandra e que os dois tiveram um filho. Já separada, Sandra se envolveu com Adilson, que queria registrar a criança em seu nome.

Adilson está preso na PEC (Penitenciária Estadual de Cascavel) desde agosto passado, quando foi detido em Blumenau (SC) com três mandados de prisão em aberto, sendo dois por homicídio qualificado – além da morte de Gelson, outro praticado em 2016 – e um por roubo. Adilson tem ainda passagens por receptação, furto qualificado e corrupção de menores.

 

 



Fale com a Redação

um × dois =