A falta de tempo ainda é a principal desculpa para o sedentarismo no Brasil. E esse número só cresce. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 47% da população brasileira adulta é sedentária e 300 mil pessoas morrem no Brasil por ano por doenças associadas à inatividade física.

Além disso, o sedentarismo traz más consequências tanto para a saúde, com a probabilidade de desenvolver enfermidades como diabetes, doenças do coração e câncer; como para a qualidade de vida, refletindo em menos disposição para realizar tarefas simples, por exemplo. Tudo isso sem esquecer de como o sedentarismo pode afetar o rendimento no trabalho.

Para mudar esse padrão, não há necessidade de começar a correr de um dia para o outro ou se matricular em uma academia. Estudos mostram que mudanças simples de hábito podem trazer grandes benefícios à saúde, se feitas com regularidade.

“A gente sabe que incorporar novos hábitos leva tempo, mas a pessoa precisa, em primeiro lugar, estar disposta à mudança. Depois ela deve estar consciente de que essa atitude não deve ser pontual, por um período determinado, mas essa deve ser uma mudança para toda a vida”, afirma Ana Claudia Pinto, médica endocrinologista e diretora de Desenvolvimento de Produtos, da Sharecare, empresa líder na combinação de saúde digital com gestão de saúde integrada.

Como mudar de comportamento

Segundo a teoria comportamental dos terapeutas James Prochaska e Di Clemente, a mudança de comportamento demanda esforço e tempo e passa por diferentes níveis de motivação. É o que os especialistas chamaram de estágios motivacionais:

Pré-contemplação – quando o indivíduo não enxerga a necessidade de mudança;

Contemplação – há uma percepção dessa necessidade, mas sem mobilização por parte da pessoa;

Planejamento ou preparação – o indivíduo compreende que precisa mudar e passa a avaliar as possibilidades de ação;

Ação – efetivamente são feitos esforços para mudar o cenário;

Manutenção – considerada a fase mais desafiadora porque, além de avaliar se as atitudes tomadas levaram a uma real transformação, demanda do indivíduo um esforço para não retornar ao antigo padrão.

APP ajuda na mudança de hábitos

Toda e qualquer mudança só acontece quando uma necessidade real leva à tomada de consciência. E não basta apenas querer mudar, é preciso esforço e planejamento. Normalmente, é o que mais acontece também na saúde, só depois do aparecimento de uma enfermidade é que as pessoas procuram mudar seu estilo de vida.

É a partir dessa consciência proativa que a Plataforma Sharecare foi desenvolvida. O aplicativo pode colaborar nessa mudança de hábitos. Por meio de uma ferramenta interativa projetada para criar perfis individuais de saúde e facilitar a experiência na busca por informações, o usuário recebe dicas de saúde por e-mail, SMS e na própria plataforma.

A orientação sugerida pelo aplicativo promove a mudança de comportamento, a manutenção dos resultados e esclarece dúvidas sobre saúde e bem-estar. Dessa forma, os participantes podem ter apoio constante para realizar suas metas, reconhecendo e atuando sobre os fatores de risco por meio de ferramentas e alertas personalizados. Consequentemente, a melhora da saúde e a redução ou eliminação dos fatores de risco geram uma vida mais saudável e o resultado é traduzido em mais felicidade e aumento da produtividade no trabalho.

Para a especialista Ana Claudia Pinto, são necessários cerca de dois anos para a pessoa incorporar verdadeiramente novos hábitos.

O aplicativo está disponível gratuitamente para Android e iOS.

Site: https://sharecare.com.br/