15 crianças à espera de algum Papai Noel

A Yasmin e a Vitória querem uma bicicleta, Daniel um carrinho, a Lara, que ainda é bebê, uma boneca, mas ela precisa de fraldas no tamanho M e leite para a mamadeira. Todos precisam de cesta básica para ter o que comer neste Natal. Eles são apenas parte de um grupo de 15 crianças que vivem em quatro barracos em uma área invadida no Bairro Esmeralda, em Cascavel.

brde1

Elas esperam com ansiedade a visita do Papai Noel que no ano passado não apareceu. “Aqui é um lugar difícil de chegar. O Papai Noel até vai nas ruas em volta, mas aqui não. No ano passado esse aqui chorou muito porque o Papai Noel não veio nem atendeu a cartinha dele”, conta Lucimara, ao apontar para o pequeno Pedro.

Com brinquedos improvisados, roupas e calçados doados, ali falta praticamente tudo. O que sobra é amor, mas o coração da matriarca, Fátima Aparecida Watzhanick, vive apertado de ver os netos sem comer, sem doces nem presentes no Natal. “Para mim essa é uma data que tanto faz. Já estou acostumada de ter nada no Natal, então nem comemoro, mas me dói pelas crianças. Só Deus sabe se terão doces, brinquedos… Pois nem leite para a mamadeira dos pequenos tem hoje. No dia do Natal vamos comer arroz e feijão. É o que tem em casa”, conta.

 

Uma pequena multidão

Somando os adultos e as crianças, são quase 30 pessoas que deverão se unir no pouco, muito pouco, para sobreviver em datas tão comemorativas e de intenso consumo como as de fim de ano.

Fátima Aparecida Watzhanick, que cuida do ex-marido acamado, sobrevive com mais seis pessoas em um dos barracos com os R$ 800 que recebe de pensão do filho que morreu há seis anos soterrado em uma obra. “Não dava para pagar aluguel, então a família inteira veio para cá [área de invasão]. Aqui alaga quando chove, é muito quente no verão, tudo é improvisado. Este barraco mesmo foi a minha filha quem construiu”, lista.

 

Para quem quiser ajudar

As crianças, que ainda sonham com o Bom Velhinho, não ficarão chateadas se não receberem presentes caros. É que doces por ali são artigos de luxo, bastante raros.

Crianças e adultos esperam, de coração, que um ou mais bons velhinhos possam fazer deste Natal uma data diferente das que têm vivido nos últimos anos. O contato para doações de alimentos, roupas, calçados, brinquedos que podem ser usados, tanto para as crianças – que vão desde os 7 meses até os 12 anos – quanto para os adultos, ou ainda os doces, fraldas e leite pode ser feito no telefone de Fátima, (45) 99958-0826, e no de Lucimara, (45) 99836-3758.

Os barracos ficam na Rua Brilhante com Citrino, no Bairro Esmeralda, região oeste de Cascavel.


Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação