A semana será de bastante trabalho para os setores especializados em crimes contra a vida do Fórum Estadual de Cascavel. É que a Comarca de Cascavel aderiu às atividades do Mês Nacional do Júri, propostas pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

Durante toda esta semana e na semana que vem haverá sessões do tribunal diariamente, priorizando crimes contra a vida.

A intenção do Poder Judiciário é desafogar a pauta, principalmente relacionada a crimes antigos. Ontem, por exemplo, o Tribunal do Júri julgou um caso de 2003. Graças à vara especializada do júri e duas promotorias que cuidam dos casos de crimes contra a vida, os casos mais recentes estão sendo julgados em tempo recorde e alguns júris ocorrem em até quatro meses da data do crime.

Mas muitos processos antigos ainda estão acumulados porque, na época, não havia essa celeridade.

No banco dos réus ontem esteve Gelson de Oliveira, que veio a Cascavel escoltado de Curitiba, onde está detido no Complexo Médico Penal por ter problemas mentais.

Ele foi julgado por uma tentativa de homicídio que aconteceu na carceragem da 15ª SDP (Subdivisão Policial) de Cascavel contra José Carlos Barbosa. Na época, Gelson usou uma arma artesanal produzida dentro da cadeia – conhecida como estoque – para atingir a vítima. O resultado do júri foi a absolvição imprópria, o que significa que o acusado cometeu o crime, mas por questões de segurança não será encaminhado a uma penitenciária comum.

 

Agenda

Hoje, às 13h, será realizado o julgamento de Maria Magdalena Cordeiro de Oliveira, acusada de matar a facadas Adriano Pereira de Souza no dia 1º de julho de 2010. Na quarta-feira, às 13h, será julgado Edson Bezerra Pulinário, acusado de tentar matar Odair dos Santos no dia 26 de novembro de 2016.

O júri de quinta-feira foi cancelado. Na sexta-feira, às 13h, será julgado um crime de 1º de setembro de 2009. O réu é Bruno Nhepes, acusado de tentar matar Luciano Theinel Bueno.