Uma esponja emocional é uma pessoa que tem facilidade em entender as emoções alheias, sejam elas positivas ou negativas.

O problema de ser uma esponja emocional é que, com o tempo, se torna desgastante para você mesma. Toda a sua sensibilidade pode atrair cada vez mais pessoas para perto de você, mas o excesso dessas energias, por mais que sejam boas, contribuem para o estresse no final do dia.

Como é uma pessoa esponja emocional: tem forte sensibilidade e são intuitivas, quer ajudar todo mundo, é vista por todos como uma “boa ouvinte”, sente-se responsável e dominada pelas emoções dos outros e atrai pessoas com problemas emocionais.

Já entre os sintomas de pessoas esponjas, temos definições que incluem o estresse como citamos anteriormente, além de uma alta irritabilidade, sonolência e a sensação de estar sempre cansada ou sobrecarregada.

O signo de Peixes é um exemplo de personalidade esponja. Os piscianos absorvem as emoções e os sentimentos dos outros e se deixam afetar com muita facilidade.

Se você está no seu limite do estresse e cansaço mental, é preciso reavaliar suas prioridades e aprender a deixar de ser uma esponja emocional. Por mais que seja considerada uma habilidade de quem tem inteligência emocional, ser uma pessoa empata apresenta riscos também.

Parar de ser esponja emocional é ainda mais importante se estamos falando em entender como parar de absorver as energias negativas de outras pessoas! Nesse caso, não sentir ou diminuir a empatia é questão de saúde e bem-estar.

Principais dicas para deixar de ser uma esponja emocional: procure uma psicóloga para fazer terapia, faça amuletos que protegem sua energia, aprenda a fechar o seu campo energético, descubra de quais pessoas você mais absorve emoções e entenda que precisa passar um tempo sozinha.

Você precisa ter uma ideia do quanto consegue aguentar “ouvir as pessoas” sem se sobrecarregar e estabelecer um limite saudável para manter o seu bem-estar mental. Não hesite em pedir licença e se retirar quando for necessário! Você deve entender que nem sempre consegue corresponder às expectativas de todos.

Fonte: Personare