A partir de segunda-feira (10), pessoas com sintomas respiratórios deverão buscar a Unidade Padre Ítalo ou a UPA Morumbi

O reflexo das festas de final de ano atrelado à nova variante Ômicron tem contribuído para o aumento expressivo na procura pelos serviços de saúde em Foz do Iguaçu.

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) registraram quase 50% de aumento na procura de pacientes, especialmente com sintomas respiratórios, com relação ao final do ano passado. As Unidades de Pronto Atendimento (UPA) também tiveram um acréscimo de quase 40% na demanda.

No dia 23 de dezembro foram 3.760 atendimentos nas 29 UBSs do município. Nesta quinta-feira, dia 6 de janeiro, foram 7.685 atendimentos, um aumento de 48,9%.

Considerando o quantitativo de equipes distribuídas nas unidades de saúde, no dia 23/12 a média de atendimentos era de 8,4 pacientes por hora, um grande salto para dia 06/01, com a média de 17 pacientes por hora. O número de pacientes com sintomas respiratórios aumentou quase 300% neste período, passando de 172 em dezembro para 685 em janeiro.

“O aumento deve-se ao maior número de pacientes sintomáticos respiratórios, tanto devido à contaminação por Covid-19, quanto pela nova cepa de Influenza H3N2, ambas consideradas de contaminação comunitária” explica o Supervisor Técnico da Estratégia Saúde da Família, Felipe Conrado Fernandes.

Para desafogar esse fluxo e melhorar o atendimento aos pacientes, a partir de segunda-feira (10), a UPA Walter Cavalcante Barbosa, no Morumbi e a Unidade Padre Ítalo, no Porto Meira, serão referências para pacientes sintomáticos respiratórios.

Atendimentos nas UBS

O fluxo de atendimento nas unidades de saúde segue como o previsto nos cadernos de atenção básica. Para todo paciente que procura atendimento em alguma unidade de saúde, primeiro é realizado o acolhimento, onde um profissional qualificado realiza escuta da queixa do paciente e verifica sinais vitais, para então definir a conduta a ser tomada.

Pacientes com queixas agudas, que necessitam de atendimento no mesmo dia, são encaminhados para consulta com um profissional médico. Para pacientes que apresentem queixas crônicas, que necessitam de controle e acompanhamento, é agendado consulta conforme disponibilidade de agenda.

Pacientes em situação de urgência e emergência que procuram atendimento em uma unidade de saúde são prontamente atendidos e com a estabilização são encaminhados para os serviços de referência – UPAs ou Hospital Municipal.

(Assessoria)