A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza encerra-se oficialmente nesta sexta-feira (9), porém Toledo manterá os trabalhos até a última dose ser aplicada. Podem ser imunizadas todas as pessoas com mais de seis meses e que não tenham tomado a vacina contra a Covid-19 há pelo menos de 14 dias.

A enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Cleunice Sarturi, alerta que o estoque de vacinas nas unidades de saúde está praticamente no fim. “Quem tem direito a receber sua dose não pode perder tempo, pois faltam poucas unidades e é muito importante se proteger contra os tipos mais perigosos e comuns do vírus causador da gripe em nosso país. Ainda mais nesta época do ano, cujas temperaturas estão mais baixas e existe o aumento de doenças respiratórias”, alerta.

Até o fim da tarde de quarta-feira, 36.018 unidades do imunizante foram aplicadas no município. Destas, 27.293 foram destinadas aos públicos prioritários: idosos (13.008), crianças de 6 meses a 5 anos (8.548), trabalhadores de saúde (2.733), professores (1.431), gestantes (1.099), população privada de liberdade (168), puérperas (149), pessoas com deficiência permanente (74), funcionário do sistema de privação de liberdade (7) e indígenas (3). “Em nenhum destes grupos atingimos o índice de cobertura vacinal de 90%, meta considerada como desejável em grandes campanhas como esta. Até a terceira idade, que foi tão participativa na edição do ano passado, dessa vez não aderiu tanto assim, pois só atingimos 64,1% da meta. A maior parte destas pessoas já recebeu as duas doses da vacina contra a Covid-19 e pode procurar as unidades de saúde para garantirem proteção também contra a gripe”, comenta.

A vacina contra a Influenza está disponível em todas as unidades de saúde – exceto as do Bressan/Cezar Park e Concórdia, temporariamente desativadas, e a do Cosmos, que atende exclusivamente pacientes com sintomas de Covid-19. “É só comparecer com documentos pessoais e carteirinha em mãos durante o horário do funcionamento destes postos e receber a dose. É uma vacina segura, eficaz e que permite um inverno muito mais tranquilo para quem é imunizado”, salienta Cleunice.