RIO – Ouro olímpico no salto com vara, Thiago Braz falou sobre sua conquista na tarde desta terça-feira, no Espaço Time Brasil, na Barra da Tijuca. Apesar de chamar de pai tanto Deus como o treinador ucraniano Vitaly Petrov, o saltador brasileiro disse que está disposto a se aproximar dos pais, com quem tem pouco contato. Thiago e Lavillenie

? Acredito que vai aproximar de todos. É um orgulho geral. Não posso tirar o gostinho de todos eles. Gostaria muito de poder comemorar com todos. Acredito que não vai ser possível. Talvez eu tente fazer algo separado, mas dando importância a eles que, querendo ou não, foram importantes para minha vida ? disse Thiago.

Desde que venceu o ouro, na noite de segunda-feira, Thiago ainda não teve tempo de se encontrar com seus avós paternos, Maria do Carmo e Orlando Braz, com quem mora desde os dois anos de idades, mas falou sobre a importância.

? Meus pais eram muitos jovens quando me tiveram. Eles brigaram bastante acho, não sei totalmente a história, mas meus avós foram peça fundamentais na minha vida e na minha educação. Meu tio também fez parte dessa história. Ele foi atleta de decatlo que me incentivava a praticar esporte. A importância na minha vida é 100% ? afirmou.

APP RIO OLÍMPICO: Baixe grátis o aplicativo e conheça um Rio que você nunca viu

Muito religioso, Thiago cita em diversos momentos Deus em suas respostas. Para ele, a religião ensinou que deve perdoar os pais.

? Meus pais estavam num momento difícil, mas minha vida mostra que independente do erro deles, eles mereciam o perdão. Eu perdoei minha mãe e meu pai e hoje a gente tem um contato, mas não direto. Eu conheço eles, sei onde moram e a vida continua. No que eu posso ajuda-los, eu ajudo. No que eles podem, eles também fazem. Mas eu tenho vínculo amoroso forte com meus avós ? afirmou.

Thiago Braz é ouro no salto com vara