Curitiba – A taxa de reprodução (Rt) do coronavírus chegou ao menor índice do ano no Paraná nessa segunda-feira (12), segundo a plataforma Loft.Science, que mede, em todo o País, o número médio de contágios causados por uma pessoa infectada. O Rt médio do Paraná está em 0,70 – o mais baixo entre todas as unidades da federação. Isso significa que cada 100 pessoas com covid-19 podem contaminar outras 70, o que mostra que há remissão da pandemia no Estado.

O Rt indica a média de pessoas que serão infectadas pelo Sars-CoV-2 a partir de uma pessoa doente. Quando o Rt for igual a 1, a doença está estável. Quando é maior, há um crescimento no número de casos. Quando a taxa está abaixo de 1, há redução nos contágios. Segundo a plataforma, que atualiza os dados diariamente, a taxa no Estado varia de 0,64 a 0,74.

Desde o último pico, em 24 de junho, quando o Rt do Paraná estava em 1,48 (cada 100 pessoas contaminavam outras 148), a transmissão no Estado vem caindo e desde 1º de julho está abaixo de 1. No Brasil, o Rt médio nessa segunda era de 0,83, com todos os estados com índice igual ou abaixo de 1.

“É uma amostra de que as medidas de controle que ainda adotamos no Estado e nos municípios impõem localmente funcionam, além do aumento da vacinação, que tem melhorado todos os indicadores da pandemia. Aos poucos começamos a ver um cenário mais equilibrado e com tendência de queda”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “Precisamos imunizar o máximo de paranaenses e manter as regras básicas de convívio social da pandemia. Só assim, coletivamente, vamos vencer a doença”.

Mais indicadores também demonstram que há uma tendência de arrefecimento da pandemia de covid-19 no Estado. Outra plataforma que mede a taxa Rt, com dados compilados pelo LEG/UFPR (Laboratório de Estatística e GeoInformação da Universidade Federal do Paraná), mostra que, ao longo da última semana, o Paraná chegou aos menores índices desde o início da pandemia, em março de 2020.

O menor valor registrado na plataforma foi na quarta-feira (7), quando o Rt chegou a 0,50, sendo que a taxa ficou na casa dos 0,5 nos últimos dias. Ontem, o índice Rt estava em 0,62.

Ocupação de UTI

Ao mesmo tempo houve a redução na taxa de ocupação nas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) que atendem exclusivamente pacientes com covid-19. Nessa segunda-feira, o índice de ocupação das UTIs do SUS chegou a 81%, a mais baixa desde 14 de fevereiro, período em que uma nova onda da doença teve início no Estado. Há uma semana essa taxa é menor que 90%.

De acordo com a Central de Regulação de Leitos da Secretaria de Estado da Saúde, o sistema hospitalar do Paraná conta com 2.011 leitos de UTI Covid adulto e pediátrica, sendo que 1.621 estão ocupados e 390 livres. Somente entre as UTI adulto, são 1.989 existentes, com 1.613 ocupadas e 376 livres.

Levando em conta todos os leitos disponíveis para os pacientes da doença, incluindo os clínicos, a taxa de ocupação no Estado é de 63%. Dos 4.775 existentes, 2.990 estão ocupados e 1.785 livres. Já o índice de ocupação dos leitos de enfermaria está em 50% – dos 2.764 disponíveis, 1.369 estão sendo usados e 1.395 estão desocupados.

As macrorregiões Leste e Norte têm a menor taxa de ocupação de UTIs: 79%. A primeira reúne as Regionais de Saúde de Paranaguá, Metropolitana (Curitiba), Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória e Telêmaco Borba e conta com 1.053 leitos, dos quais 223 estão livres. Na Norte (Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Ivaiporã), são 315 leitos disponíveis, com 67 desocupados.

Na macrorregião Noroeste (Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí e Maringá), a taxa de ocupação é de 82%.

A taxa mais alta é da Oeste (Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel e Toledo), de 86%.

Saúde confirma mais 241 óbitos

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nessa segunda-feira (12) mais 2.310 casos e 241 mortes pela covid-19 no Paraná. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.320.797 casos e 32.531 óbitos.

Os casos confirmados informados ontem são de fevereiro (2), março (46), abril (19), maio (35), junho (228) e julho (1.980) de 2021.

A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 241 pacientes. São 95 mulheres e 146 homens, com idades que variam de 5 a 94 anos. Os óbitos ocorreram de 5 de março a 12 de julho de 2021.

Mais de 5 milhões de paranaenses foram imunizados

Mais de 5 milhões de paranaenses já foram vacinados contra a covid-19, seja com a primeira dose ou com dose única. Os imunizantes foram aplicados em 5.062.370 pessoas, o que corresponde a 58% da população paranaense acima de 18 anos. O marco foi ultrapassado nessa segunda-feira (12). O indicador representa aqueles que passaram ao menos uma vez em algum ponto de vacinação.

No total, quase 6,5 milhões de doses foram administradas: são 6.466.670 aplicações, sendo 4.865.381 primeiras doses, 1.404.300 segundas doses e 196.989 doses únicas. O percentual de paranaenses que já estão completamente imunizados contra o vírus é de 18,36%. Os dados são do Vacinômetro do SUS (Sistema Único de Saúde), vinculado ao Ministério da Saúde.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior recebeu a vacina domingo (11), em Apucarana. O Município foi o primeiro a aderir à campanha de vacinação de Domingo a Domingo, com Maringá.

O governador aproveitou a ocasião para reforçar a importância de todos os paranaenses aderirem à vacinação: “A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é um órgão extremamente rígido e só liberou vacinas seguras e eficazes, imunizantes que protegem. É importante vacinar e também tomar a segunda dose, quando é o caso. A gente só vai reduzir o número de óbitos quando a vacina atingir a maior parte da população”, afirmou Ratinho Junior.

“Nossa expectativa e objetivo é de que, no dia 31 de agosto, todos os municípios paranaenses batam juntos o sino dos 80% de vacinação, pelo menos na primeira dose da população-alvo”, declarou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. A expectativa é atingir 100% da população adulta até setembro.

Perfil

Das vacinas administradas para primeira dose/dose única, a mais aplicada é a Covishield, da parceria AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, com 55% do total de doses utilizadas. Na sequência, estão a Coronavac (Instituto Butantan/Sinovac), com 25,8%; a Cominarty (Pfizer/BioNTech), com 15,3%; e a Janssen (Johnson & Johnson), com 3,9%.

O público que mais recebeu D1 ou dose única até o momento foi de 65 a 69 anos (753.171), seguido de 45 a 49 anos (665.258), 50 a 54 anos (662.823), 55 a 59 anos (655.324) e 70 a 74 anos (641.985). A maioria é feminina (2,7 milhões).

Cascavel ultrapassa 200 mil vacinados

Com mais de 206 mil doses de vacina contra a covid-19 aplicadas, Cascavel ampliou a imunização ao grupo de 34 anos, público geral, a partir desta terça-feira (13). Até o fim da tarde de ontem, eram 158.308 primeiras doses e 48.527 segundas doses.

As vacinas estarão disponíveis a partir das 8h, nas 42 unidades de saúde de Cascavel, até as 16h, ou até acabar o estoque.

Para esta terça, a Secretaria de Saúde terá mais de 6 mil doses da vacina.

Para receber a vacina é preciso apresentar um documento de identificação com foto, CPF e um comprovante de residência com endereço de Cascavel.