Imam ShotNOVA YORK ? A polícia de Nova York informou nesta segunda-feira que interrogou um suspeito pelas mortes de um imã e seu assistente, assassinados no sábado, em plena luz do dia, perto de sua mesquita no bairro do Queens. O homem detido não foi acusado pelo duplo homicídio, disse um porta-voz policial. ima

Maulama Akonjee, de 55 anos, que imigrou de Bangladesh, e seu assistente Thara Uddin, de 64 anos, foram mortos enquanto caminhavam pela rua por um homem que disparou contra eles e conseguiu fugir.

A polícia publicou no domingo um retrato falado do suspeito e pediu ajuda dos cidadãos para identificar o suspeito, que usava camisa e uma bermuda azul.

O assassinato provocou reação imediata da comunidade muçulmana, que classificou o crime como um ato islamofóbico.

No sábado, centenas de pessoas, em sua maioria muçulmanos, se reuniram na cena do crime aos gritos de ?queremos justiça? e exibindo retratos do imã. Outro grupo de moradores do bairro, líderes religiosos e muçulmanos concentraram-se diante de uma mesquita para compartilhar suas inquietudes em relação ao clima de hostilidade no país.

Os investigadores ainda não apontaram nenhum motivo para o assassinato. O gabinete do prefeito de Nova York afirmou que a polícia estava investigando o crime ?sob todos os ângulos?.

? Não há nada na investigação preliminar que determine que foram atacados devido às suas crenças religiosas ? declarou o inspetor Henry Sautner, do Departamento de Polícia de Nova York.