A (Frente Nacional de Prefeitos) avaliou com “surpresa e decepção” a decisão da Anvisa de vetar a importação da vacina russa Sputink V para o Brasil. O consórcio de prefeitos esperava a deliberação da compra de 30 milhões de doses do imunizante. “O consórcio, agora, se prepara para reavaliar os termos da negociação contratual à luz dos pontos indicados pela agência reguladora, em busca de uma solução que acelere o calendário de imunização das cidades brasileiras”, diz a FNP em nota.

O Conectar (consórcio dos prefeitos), segundo a FNP, reúne mais de 2 mil cidades que, juntas, representam mais de 150 milhões de brasileiros. “A saúde e o bem-estar dessas pessoas – dispostas em 26 capitais e algumas centenas de outros municípios – são a prioridade do consórcio, iniciativa inédita que acredita em um plano de imunização estruturado e, acima de tudo, seguro para o enfrentamento à covid-19”.

No cronograma vacinal inicialmente planejado, o Conectar já havia iniciado o diálogo com outros possíveis fornecedores internacionais com potencial de atendimento às demandas brasileiras por imunizantes. “Prefeitas e prefeitos do Conectar seguem confiantes no papel estratégico indispensável da atuação integrada para a garantia de agilidade no processo de vacinação em todo o país”, diz a FNP.

Leia a seguir a íntegra da nota:

Foi com surpresa e decepção que prefeitas e prefeitos consorciados ao Conectar – Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras acompanharam na noite da última segunda-feira (26) a deliberação da Agência Nacional de Vigilância Segurança (Anvisa) a respeito da possibilidade de importação da vacina russa Sputnik V para o Brasil.

Em tratativas com o Fundo Soberano Russo para a aquisição de 30 milhões de doses ao longo deste ano, o Conectar, agora, se prepara para reavaliar os termos da negociação contratual à luz dos pontos indicados pela agência reguladora, em busca de uma solução que acelere o calendário de imunização das cidades brasileiras.

O Conectar, constituído com a liderança da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), reúne mais de 2 mil cidades que, juntas, representam mais de 150 milhões de brasileiros. A saúde e o bem-estar dessas pessoas – dispostas em 26 capitais e algumas centenas de outros municípios – são a prioridade do Consórcio, iniciativa inédita que acredita em um plano de imunização estruturado e, acima de tudo, seguro para o enfrentamento à covid-19.

Para a manutenção do cronograma vacinal inicialmente planejado, o Conectar já havia iniciado o processo de diálogo com outros possíveis fornecedores internacionais com potencial de atendimento às demandas brasileiras por imunizantes.

Prefeitas e prefeitos do Conectar seguem confiantes no papel estratégico indispensável da atuação integrada para a garantia de agilidade no processo de vacinação em todo o país.