Pela primeira vez o silêncio em que vivem as irmãs da ordem de Santa Clara e de São Francisco de Assis do Mosteiro Mãe da Providência, em Cascavel, foi quebrado e as portas da casa religiosa foram abertas para visitação.

Cerca de 500 católicos foram matar a curiosidade de como vivem as irmãs em regime de clausura e com pouco contato com o mundo externo ao mosteiro. “Sempre tive curiosidade de entrar, saber como funcionava. Sentia uma paz cada vez que passava nos arredores e hoje pude ver como funciona esse trabalho maravilhoso feito pelas irmãs”, conta Aparecida Simão, católica fervorosa que levou o marido, João Sidnei, para conhecer o mosteiro nesse domingo.

O que mais chamou a atenção são os trabalhos artesanais feitos pelas 12 irmãs que moram no local. Em uma das salas elas fabricam velas decoradas que são vendidas para casas religiosas e igrejas. Tudo é feito à mão e com materiais doados.

Elas também são responsáveis pela minimalista arte de fazer as hóstias que são vendidas às igrejas católicas locais. São horas de dedicação com máquinas e formas especiais. A renda é revertida para a manutenção do mosteiro, que também se mantém de doações da comunidade. E é por causa delas que as portas foram abertas. As irmãs queriam mostrar as obras concluídas e pedir ajuda para a segunda parte da reforma no local.

“Vivemos uma vida totalmente em oração e em silêncio, uma vida de intercessão em prol da humanidade e contamos com eventos feitos em nome do mosteiro para a nossa sobrevivência”, disse a irmã Bernarda do Bom Pastor.

Reportagem: Tatiane Bertolino

Fotos: Aílton Santos

07 – Casa religiosa foi aberta para visitantes ontem; cerca de 500 pessoas compareceram