Que o ser humano precisa de rituais para marcar sua história todos sabemos. Tanto na família como na vida em sociedade, as cerimônias marcam nossa passagem pelo mundo, desde o nascimento. A pandemia nos fez assistir em alta velocidade a mudança de alguns hábitos seculares. Entre eles, o luto.

Impedidos de se despedir como era normal, distanciados para evitar a propagação da covid-19, parentes e amigos criam formas de dizer adeus, consolar-se e seguir em frente.

Muitos comportamentos que antes pareceriam ofensivos, hoje são vistos com naturalidade, lembra a psicóloga Paula Leverone, sócia-fundadora do Instituto Trilhar de Psicologia, especializado na abordagem terapêutica do luto.

A tecnologia ganha espaço com lives em homenagem a quem partiu, durante as quais as pessoas próximas conversam, cantam e fazem orações. As carreatas tomam o lugar dos cortejos a pé, do velório e da presença no sepultamento. “O velório tem uma enorme carga simbólica e emocional. Permite que o enlutado se conecte com sua dor, ajudando a concretizar e a absorver o que aconteceu, em um ambiente onde é permitido expressar os sentimentos e receber apoio de amigos e familiares. Esse apoio e a possibilidade de compartilhar o momento, receber abraços, palavras de conforto daqueles que amamos, faz com que não nos sintamos sozinhos diante da dor. A falta ou as restrições dos rituais de despedida, da forma que estamos vivenciando hoje na pandemia, podem ser complicadores para o luto saudável”, explica Paula.

E como se pode agir para lidar com o luto da maneira mais saudável possível?

Paula preparou uma lista com ideias que podem ajudar.

1- Escrever e compartilhar com familiares ou em rede social

2- Escrever para o ente querido falecido

3- Criar um diário de sentimentos

4- Organizar álbuns ou vídeos de recordações

5- Criar um altar ou memorial em casa

6- Fazer desenhos, pinturas

7- Construir um caixa de memórias para guardar os pertences significativos do ente querido falecido

8- Pensar em uma cerimônia para depois da pandemia ou algo possível de ser feito durante a pandemia

9- Prestar uma homenagem em plataformas e meios de comunicação que surgiram durante a pandemia com o objetivo de honrar e prestigiar entes queridos falecidos, como por exemplo a Plataforma Inumeráveis (memorial dedicado ao relato de histórias de pessoas que morreram em decorrência da covid-19)

 

Novos rituais:

1- Carreata em velórios ou na frente da casa

2- Enviar uma mensagem sincera ou um cartão

3- Enviar refeições ou outras formas de ajuda e cuidado (compras, ajuda com animais, burocracias, fazer um doce, flores…)

4- Participar de grupos de oração

5- Demonstrações de proximidade para confortar o outro. Ofertar carinho, amor e ajudas práticas

6- Manter-se presente

Mais informações no site https://lutocuritiba.com.br/

Leia também:

“Vivemos um luto coletivo”; Confira a entrevista sobre o tema com a psicóloga Deise Rosa