COTIDIANO

RETROSPECTIVA 2017: Brasil sacode com grampos dos irmãos Batista

31 de dezembro de 2017 às 11:09
Publicidade

Uma delação premiada em tempo recorde, com participação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, sacode o País todo, com o epicentro em Brasília. Os irmãos Batistas, donos do Grupo JBS, entregam grampos que colocariam a Presidência da República sob xeque por quatro meses, levaram um assessor do presidente Michel Temer para a cadeia e quase tiraram o cargo do senador Aécio Neves.

A delação continha gravações nas quais Temer teria “avalizado” pagar pelo silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha na cadeia, registraram o ex-assessor Rodrigo da Rocha Loures buscar e levar consigo uma mala com R$ 500 mil “grampeados” e, flagraram Aécio pedindo R$ 2 milhões para um dos Batistas como ajuda para pagar sua defesa na Lava Jato.

A delação foi negociada e preparada com apoio da PF e do MPF, por isso ocorreu em tempo recorde. As consequências foram gigantescas, especialmente para a economia. O dólar disparou, o que, inclusive, rendeu processo contra os irmãos Batista, que acabaram presos por terem lucrado com a compra de dólares na véspera da delação-bomba, beneficiando-se com informação privilegiada.

O presidente Michel Temer foi denunciado duas vezes pela PGR (Procuradoria-Geral da República), e em ambas a Câmara não deu autorização para prosseguimento das investigações. Nas duas vezes, Temer foi à imprensa e disse que não renunciaria, apesar da pressão que começou a receber de todos os setores da sociedade.

Meses depois foram descobertos novos áudios feitos por Joesley Batista e um funcionário que comprovaram irregularidades nas gravações com o presidente e os termos da delação, que previam proteção aos empresários no processo que investigava fraudes em contratos com o BNDES, foram suspensos.

A delação levou a uma das mais violenta e destrutiva mobilização em Brasília. Grupos atearam fogo em diversos locais, inclusive nos prédios de dois ministérios e vários outros pontos foram depredados. O presidente Michel Temer convoca as Forças Armadas para auxiliar na segurança.

Supremo manda libertar o ex-ministro José Dirceu

Por três votos a dois, o STF (Supremo Tribunal Federal) decide dar a liberdade para o ex-ministro e homem-forte do Governo Lula, José Dirceu, que havia sido preso por determinação do juiz federal Sergio Moro. Dirceu foi condenado a 31 anos de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Depois de ficar preso por um ano e nove meses preso, José Dirceu pôde voltar para casa usando tornozeleira eletrônica.

Mortes na UPA

Relatório divulgado pela Câmara de Cascavel revela que 510 pessoas morreram dentro das UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento) entre 2015 e 2016 à espera de leito hospitalar.

Operação Muralha

As Polícias Militar, Civil, Rodoviária Federal e Federal, a Receita Federal, o Diep (Departamento de Inteligência do Estado do Paraná), o Exército e a Marinha deflagram a Operação Muralha. A base é instalada na praça de pedágio de São Miguel do Iguaçu com vistas especialmente para o combate do tráfico de drogas e de armas, dentre outros crimes fronteiriços. A Operação seguiu durante o restante do ano.

Fim de uma longa novela

Depois de 18 anos, a Prefeitura de Cascavel consegue reintegrar a área invadida do Jardim Gramado. A ação contou com apoio de 600 policiais e ocorreu de maneira pacífica. Cerca de 70 famílias ainda permaneciam no local. A maioria foi remanejada para casas cedidas pela prefeitura e o restante foi para o ginásio de esportes do Bairro São Cristóvão, à espera de um novo lar.

Lula X Moro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depõe pela primeira vez para o juiz federal Sérgio Moro no caso que investiga a propriedade de um triplex no Guarujá, litoral paulista. Lula aproveitou o “microfone aberto” da audiência para fazer seus discursos populistas e negou as acusações, desafiando o juiz e os promotores a provarem sua culpa. Em julho, Lula foi condenado a nove anos e seis meses de prisão no mesmo caso.

Operação Bullish

A Polícia Federal deflagra a Operação Bullish que visa investigar suspeitas de fraudes e irregularidades em empréstimos concedidos pelo BNDES ao grupo JBS, dos irmãos Batistas. A ação é um prelúdio do que viria em pouco tempo e sacudiria todo o País, com o epicentro em Brasília.

Segundo a PF, havia indícios de prejuízos de até R$ 12 bilhões aos cofres públicos envolvendo o grupo.

Brasileiro

Começa mais uma edição dos Campeonatos Brasileiros Séries A e B, com jogos por todo o País. Após uma belíssima campanha, o Corinthians garante o título antecipadamente.

PIB reage

O País dá o primeiro sinal de vida após a forte crise. O PIB do primeiro trimestre do ano ficou em 1,12% na comparação com o período anterior e 0,29% sobre o mesmo período de 2016. Os números indicavam que o Brasil estava deixando para trás a forte recessão econômica, considerada uma das piores da história brasileira.

Geração de empregos

O Paraná gera mais de 23 mil empregos no primeiro quadrimestre de 2017, alimentando o otimismo de que a crise estava sendo deixada para trás. Na região oeste, foram abertas 2.834 vagas formais no período.

Na sua 20ª edição, a Marcha Nacional dos Prefeitos consegue ter um dos pleitos atendidos. O presidente Michel Temer assina Medida Provisória que permite aos municípios o pagamento de suas dívidas com o INSS em até 200 parcelas. O desconto chega a R$ 30 bilhões.

Demarcação de terras indígenas

A Funai informa que suspendeu os processos de demarcação de terras indígenas no Paraná, trazendo alívio principalmente para produtores e moradores de Guaíra e Terra Roxa. Alívio temporário, pois em outubro uma decisão judicial restabeleceu os estudos, que tramitam agora sobre segredo de Justiça.

Drogas e armamento pesado

Após dois meses de investigação, a Denarc (Divisão Estadual de Narcóticos) de Cascavel registra a maior apreensão de drogas no ano. Foram interceptadas quase cinco toneladas de maconha com um rico arsenal de armamento pesado que iria para o Rio de Janeiro. O motorista é morador de Corbélia e foi flagrado pela Denarc de Cascavel no interior do Estado de São Paulo, com ajuda de policiais civis do Mato Grosso do Sul e de São Paulo.

Foram apreendidos nove fuzis, dos quais dois de calibre ponto50, capazes de derrubar um avião; 31 pistolas e quase 17 mil munições, a maioria de grosso calibre. A ação era a ponta do iceberg que revelou nos meses seguintes uma nova rota de tráfico internacional de armas, que passa pelo oeste do Paraná.

Oeste x Vietnã

Uma comitiva do Vietnã vem ao oeste do Paraná atrás da tecnologia do Canal da Piracema, que liga o Rio Paraná ao reservatório de Itaipu. O país busca estratégias para melhorar o estoque pesqueiro.

Sob encomenda

O assassinato da agente federal Melissa Almeida revela o poder do crime organizado no Paraná. A psicóloga que trabalhava na Penitenciária Federal de Catanduvas foi executada na frente do marido e da filha e virou alvo de uma mostra de poder do PCC (Primeiro Comando da Capital), que ordenou uma série de assassinatos para instalar o medo nos agentes penitenciários e manter o controle dentro dos presídios paranaenses.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE